.

.

Este militante anti-cinzentista adverte que o blogue poderá conter textos ou imagens socialmente chocantes, pelo que a sua execução incomodará algumas mentalidades mais conservadoras ou sensíveis, não pretendendo pactuar com o padronizado, correndo o risco de se tornar de difícil assimilação e aceitação para alguns leitores! Se isso ocorrer, então estará a alcançar os seus objectivos, agitando consciências acomodadas, automatizadas, adormecidas... ou anestesiadas por fórmulas e conceitos preconcebidos. Embora parte dos seus artigos possam "condimenta-se" com alguma "gíria", não confundirá "liberdade com libertinagem de expressão" no principio de que "a nossa liberdade termina onde começa a dos outros".(K.Marx). Apresentará o conteúdo dos seus posts de modo satírico, irónico, sarcástico e por vezes corrosivo, ou profundo e reflexivo, pausadamente, daí o insistente uso de reticências, para que no termo das suas análises, os ciberleitores olhem o mundo de uma maneira um pouco diferente... e tendam a "deixá-lo um bocadinho melhor do que o encontraram" (B.Powell).Na coluna à esquerda, o ciberleitor encontrará uma lista de blogues a consultar, abrangendo distintas correntes político-partidárias ou sociais, o que não significará a conotação ou a "rotulagem" do Cidadão com alguma delas... mas somente o enriquecimento com a sua abertura e análise às diferenciadas ideias e opiniões, porquanto os mesmos abordam temas pertinentes, actuais e válidos para todos nós, dando especial atenção aos "nossos" blogues autóctones. Uma acutilância daqui, uma ironia dali e uma dica do além... Ligue o som e passe por bons e espirituosos momentos...

quarta-feira, 13 de maio de 2009

BARBAR.IDADES



BARBARIDADES
Tudo começou há bué, bué de tempo, uma carrada de séculos antes de Cristo… pela idade do ferro. Estas terras eram habitadas por tribos que viviam da agricultura, da criação de gado, e da pastorícia. Em simultâneo estes povos tinham características guerreiras para se protegerem das investidas uns dos outros. Os Iberos.
Como a norte do continente as terras eram frias, chuvosas e fracaxixas para a ingrícola, certo dia, vieram os Celtas que resolveram concentrar-se nestas terras onde estamos agora! Era um povo trabalhador mais organizado e temente a Deus, que tinha o poder paternal como pilar da funcionalidade.
Os primeiros mais a Sudoeste, e os segundos mais a Nordeste desta Jangada de Pedra, como os invasores eram uns caras legais, criaram laços de amizade e, mesclando-se com as Iberas, deram á luz uns rebentos denominados Celtiberos
Corriam cerca de milanos anos a.C. mas não “AC/DC”, porquanto esses tipos, embora dos meandros do metálico Pop-Rock puro e duro, nos são contemporâneos!
De entre as tribos que habitavam esta península, destacaram-se os aguerridos Lusitanos, entranhados nos Montes Hermínios… uns cabeças duras!
Entrementes, pelos mediterrrânicos mares… do Oriente aprochegaram-se os Fenícios, sem primeiro terem visitado as cachopas de Cartago, no Norte de África, resultando numa mestiçagem do caraças, tudo ainda antes de Cristo, vejam só! Dessas paragens trouxeram umas cachopas de metro e meio que viviam em grutas… mas oportunamente iremos a elas…
Estes malucos eram dedicados ao intercâmbio de produtos e apreciadores de arte por vocação e não pro vocação… indo assentar arrais no litoral sul da Ibérica Península sendo, naturalmente, pescadores!
Depois, vieram os Gregos, também aderentes á causa do mercantilismo… que se embeiçaram ao povo desta santa terrinha… ou seja, alambazaram-se aos tais Celtiberos, já mais Iberos que Celtas!
Como em Roma se é romano e por essas bandas havia porrada de criar bicho, uns magotes de marmanjos africanos, os tais Fenícios do
Cartago, hipertransportados em cascas de noz, vieram reforçar as fileiras da raça a Sul da Jangada, e junto á Mourama, desancando no pessoal grego dos Algarves, mas não se adiantaram porque pelos vistos, os Celtiberos e os Lusitanos em especial, seriam um osso duro de roer!
Depois de apalparem o pulso ao pessoal residente, os sacanas dos Cartagineses, liderados por Aníbal dos Elefantes, encheram o peito e zás, toca de alargar território, vindo por aí acima, onde se confrontaram seriamente com os Celtiberos no campo de Sagunto, numa renhida batalha!
Decorria o ano de 219 a.C! Já nesta altura eram ajudados pelos tais Trogloditas, uns Egípcios que tinham pouco mais do que metro e meio e se reclamavam das montanhas do norte de África … de ideias fixas, viviam em cavernas, apreciando hectolitros de bebida fermentada, (leia-se cerveja) … aprofilhavam uma ou mais causas de modo irracional, tomavam atitudes ameaçadoras perante aqueles que discordassem das suas opiniões, exprimiam-se em vozeirada apropriando-se do bem alheio sem passarem parte ás tropas, cativando a fêmea de moca em punho, etc, etc.
Conhecem por aí uns tipos assim?
Mas pronto… eram eles a enfiarem-se pela Ibéria acima, ali na zona Castelhana, e os Romanos, península abaixo!
Eclodiu o choque titânico com as Guerras Púnicas!
O ciberleitor já ouviu falar?
“E quando não podes com eles junta-te a eles”, os Lusitanos e companhia, apercebendo-se que vinha outra trovoada pela Europa abaixo, emprestaram forças aos Cartagineses e foram ao encalço das legiões Romanas, aliviando a pressão ao Astérix, o tal da irredutível Aldeia Gaulesa
Também já ouviu falar?
Tumba!
Deu-se a coisa feia na batalha de Canas, onde os Romanos levaram porrada até dizer chega! Nesses tempos remotos o rio Ebro seria a fronteira natural destas cenas maradas…
Mas “foi Sol de pouca dura” porque Aníbal baixou a guarda, tão entretido andou, embeiçando por “novas” e belas amizades… se bem quando Cneio Cipião, o Romano arraçado de Africano, , reconstituiu forças e contra-atacou com uma primeira batalha no campo de Zama.  
Daí em diante os trogloditas dos Cartagineses vêésse Fenícios foram arrepiando caminho até aos mares Mediterrânicos… todos não, muitos iam ficando pelo caminho!
Se bem quando nos Montes Hermínios, entra no filme o tal Viriato, que junto com umas centenas de homens mulheres e crianças em armas (leia-se em calhaus), valiam mais que todos os elefantes brancos juntos, pois encosta abaixo, corriam os Romanos á calhoada! Eram eles por aqui e os tais da aldeia Gaulesa!
Descendente romano em repouso…
Ah, pois… houve um general Romano que simpatizou com a causa Lusa e se juntou ao Viriato… era Quinto Sertório, que deu a Sertã á luz!
Por último, uns traidores marrecos puseram fim à vontade do Viriato fumar.
 
Prontos, não haja dúvida que estes loucos Romanos eram autênticos patos bravos dedicados á construção civil e á obra pública! Menos democráticos que os Gregos, também lá chegavam… Apelidaram de Tubucci, estas lindas terras que pisamos…
Ora bem, pairava lá pelas Ásias do Norte um povo de ôlho em bico, que não podia estar quieto c’os pés, e devido ao frio de rachar, resolveu expandir-se pela Europa abaixo, aí pelo ano trezentos depois de Cristo! Eram os Hunos!
Claro está, que os anfitriões não gostaram muito da brincadeira sentindo-se empurrados para a Península Ibérica.
Estes rapazes que se auto intitulavam de Alanos do Cáucaso, Suevos da Germânia e Vândalos de uma mesclagem Germânica e Escandinava, (Ai… As escandinavas!) alcançaram estas terras mimosas, quentinhas e aconchegaditas no ano de 406 d.C!
Ofélias há uns tempitos atrás…
Já os Visigodos, também Germânicos, chegando mais tarde, tiveram de se confrontar com os primeiros invasores!
Rotas dos invasores
Isto tornou-se uma rebaldaria de tal ordem que nem os Romanos tinham mão na coisa, que levou o Imperador Romano para as causas do Ocidente, Honório (não o dos FH5), a entregar a batata quente á irmã Galla Placidia que por seu turno já se tinha entregue de mão beijada a Ataulfo, um rei Visigodo!
Aquela depravada!
Alguma vez se viu uma coisa assim??
Entretanto os Visigodos deram um pontapé no traseiro dos Vândalos que desopilaram para o Norte de África e designaram esta humilde e altaneira terra por Aurantes!
Está neste preciso momento o ciberleitor a questionar-se:
“-porque raio estará o Cidadão a contar esta história toda?” … Prontos! Cá o Cidadão não lhe prega mais desta seca… e se o amigo quiser saber qual o ponto em que, e se, realmente o Dom Afonso Henriques e mais uns comparsas deram porrada na Mãe lá pelas terras de São Mamede, faça um esforço e vá ler a História de Portugal… che faz favor!
A força desta descrição deve-se à impressão de que ainda restam vestígios presenciais dos Vândalos por estas paragens… em termos de construção… não, mas em termos de destruição, talvez sim!
São vestígios idênticos aos do período pós Romano… provávelmente o tal impacto das migrações Bárbaras na Península Ibérica… apesar destes Vândalos muchachos terem dado o nome á Andaluzia, começando por ser Vandalusia e, posteriormente, graças á Moirama, passar a designar-se Al-Andalus, e depois se terem pirado para o Norte de África onde abancaram na tal Cartago que tinha sido do Aníbal dos Elefantes, e só depois, com a mourama á perna é que esta terra se passou a designar de Líbia.
Isto já vai longo e o raça da história ainda mal começou… a ideia é mesmo dissertar sobre os Vândalos e Bárbaros afins!
Se bem repararmos, actualmente existe um ser essencialmente noctívago que se poderá designar por Viralata.
È um ser que pratica a segunda mais antiga profissão do mundo, o viralatar, por ser descendente da primeira.
A mão-de-obra empregue em horas extra, que serão mais ordinárias do que extra, é remunerada irrisoriamente, quiçá gratuita, enquanto que, se convidado durante o dia para reparar os danos causados pela noite, logo retorquirá que o preço proposto é muito baixo, logo valoriza o escasso trabalho diurno em detrimento do extra nocturno, sustentando-se com os abonos do hierário público que por sua vez se alimenta dos impostos da população activa
Poderemos dissecar várias tribos específicas de Viralatas
Começando pelos da própria designação, indivíduos da idade do ferro,
… Torcem a sinalética
…e o ferro forjado,
…partem semáforos,
…arrombam portões de jardins públicos,
…derrubam postes…
…e danificam placards publicitários à sua passagem…
Temos os Biquêradaço, que se entretêm a pontapear caixotes do lixo,
…partindo faróis rasteiros da iluminação pública,


… Rebentando portas de protecção dos equipamentos…
… Escaqueirando vasos de flores…
…e as frágeis ameias dos castelos…
…Ou destruindo os bancos dos jardins…
…E descascando as árvores que lhes dão a sombra…
Segue-se a tribo dos Meiastintas que, para além de utilizar latas invertidas de aerossóis como força de expressão, ainda na idade da pedra, se entretêm a rabiscar …
…pinturas rupestres pelas paredes adiante…
…Mais esta…
…Ou esta…
…Ainda esta…
…Ou por exemplo…assim…
…Desta maneira…
…por exemplo, esta porcaria…
Ou esta colorida obra d’arte…
Assim… qual crise…  
Para latas de tinta ainda há…
Não se confunda com o Grafitti, uma arte contemporânea, quando executado por gente competente, nos locais adequados!
Há a tribo dos Vegetarianorecolectores, geralmente com um perfil distante dos anteriores, predominantemente do sexo feminino e idade avançada para terem juizinho… que se entretêm a colher os pés das flores e outras plantas decorativas embelezadoras dos públicos jardins e mesmo, dos canteiros da vizinhança…
Dentro destas idades temos os Voyegeurs, tribos que se entretêm a poisar de arbusto em arbusto, num incessante estudo dos métodos reprodutores e respectivas preliminares de apaixonados casais que se aquecem pelos cantinhos dos jardins… num contributo para a densidade populacional em escrupuloso cumprimento ás directivas do nosso Mayor!
Também temos os Fitipaldis, que se deslocam pela noite dentro em veículos esganados de chunguice, descrevendo acrobacias em terreno solto, provocando ruído infernal com as respectivas nuvens de terra que conspurcam os haveres dos pacatos cidadãos que tentam dormir noites sossegadas para se arribarem na madrugada seguinte afim de despejarem 60% do seu suor nos cofres públicos que reverterão parcialmente para os depósitos de gasolina dos primeiros.
Um circulo vicioso, uma pescadinha com o rabo na boca!
LOL !
Portanto estas seitas têm os lombos folgados por não poderem trabalhar devido á rigorosa legislação laboral, por serem portadores de deficiências menos visíveis a olho nú, recebendo a reforma ou abono prematuros, cujos impostos nos são escamoteados pelo Estado Português, afim de colmatar tanta necessidade.
A outros não se lhes pode ir à mala pois sendo menores de idade, consideram-se espécimen protegida por branda legislação.
Esse mobiliário urbano é parte da equação dos nossos descontos, posteriormente destruído pelos tais que não distinguem regras de civismo, nem tão pouco, o valor do nosso trabalho.
Afigura-se-nos um exemplo em como a hora extraordinária destes Visigodos nos sai bastante mais em conta do que a hora normal de trabalho de cada cidadão contribuinte activo.
Ainda no que concerne a estas paletes de Vândalos vindos do norte da Europa numa época pós Romana, aí nos primórdios do século VIII, precisamente a partir de 711… em leves, ligeiras e arábicas montadas…
...a exemplo dos Cartagineses que já vinham arraçados destes, surgiram dos Mediterrânicos mares, uns engenheiros vestidos de branco… os Árabes… e com eles, resquícios da tal tribo mui famosa dos confins de Bahr el-Ahmar, ãh?!
Também vocês não sabem nada… Hayam Haadóm em hebraico… ainda não?
Mar Vermelho... prontos!
Qual tribo?!
A dos Trogloditas… poças!
Estes artistas, comandados pelo general Tarik, tomaram conta da península e dos Visigodos em três tempos… sim três tempos pois não houve tempo para os invadidos e seu Rodrigo Rei, se escaparem! Enquanto os invasores se apresentavam em leves farpelas, conferindo-lhe grande mobilidade e agilidade no terreno, os nossos Visigodos apresentaram-se completamente enlatados em pesados elmos, cavalgando bestas pesadas e pachorrentas… Mesmo assim, estes Visigodos ficaram com um pedacito de território a norte da península, onde resistiram ao invasor, comandados por um Pelágio cristão, entrincheirados nas montanhas das Astúrias a partir de 718!
Por outro lado, a partir de 840, o norte da Península Ibérica era invadido pelos Vikings que se faziam aos mares em seus Drakars, mas nunca chegaram a atingir o latino rectângulo! Quer-se dizer… em 960 ainda colonizaram a Póvoa do Varzim, razão pela qual as mulheraças dessa região são predominantemente louras e de olhos azuis… tentaram entrar em Lisboa mas a moirama não o permitiu.
Vickie o viking
miúdas aguardando o regresso dos Viking
Estes ainda se riem com tanta barbaridade por aqui descrita ??
?????
“-Mas ca ganda seEca…meus! Este Cidadão abt é um meeelga que não se pooOde … “

??? Prontos, por hoje, chega !!!
iiirra!!!

15 comentários:

Aqui - Ali - Acolá disse...

Caro Cidadão abt, good night!..

Good Night porque é noite, ou melhor dizendo, muito boa noite:

Mas não confunda com aquela cantiga da Marchinha (muito boa noite senhoras senhores, etc. ok?).

Bem, deixe-me cá puxar pelos meus neurónios para ver se eu consigo comentar este Ganda Post com pelo menos um pouco de racionalidade perante tudo aquilo que aqui está exposto!..

Nestas paragens tão belas desta Aldeia (lol) cidade que praticamente tudo conheço (excluindo alguns cantitos secretos entende?) existem coisas que aqui descritas por nomes que eu desconhecia fiquei a saber, pois como o saber não ocupa lugar, mais rico eu fiquei (não de impostos, alto aí e para o andor que o santo quer ir à casa de banho).

História rica com mérito e merecedora de louvor esta a que aqui nos dá mas, como os louvores são só para os Burros que vegetam por aí todos pomposos à custa do nosso orçamento que tanto custa a esfolar, isso não lhe calha porque já se sabe o que a casa gasta; venha a nós o que é de vós endende né?

Este né já é quase parte do novo acordo ortográfico que virá talvez do nénem mas que vai crescendo perante os anos que passam.

Ena com catano, uma coisa de fazer virar os olhos ao contrário são as fotos aqui publicadas dos rebentos denominados Celtiberos, as belas Escandinavas, o trio loiral num banho de águas límpidas, e por fim o Quarteto aguardando o regresso dos Vikings:-Tchesss, que festa se fazia cá na Aldeia (lol) cidade com estes modelos de outrora.
Isto por cá mudava logo tudo!..

Baixavam os impostos esploradores, as ruas estavam sempre engalanadas de flores (sim, porque isto não é uma cidade florida?), - o povo saía à rua com a alegria que costumava ter (José Cid) com muito mais frequência para adoçar a vista que está tão triste da miséria que vê por aí, enfim era um manancial de luxo e prazer ver a Aldeia (lol)cidade assim.

Claro que isto são sonhos, ou sou eu que estou a delirar, mas não de febre porque isso é coisa que é só nos momentos aconselhados quando o sino cá da Aldeia (lol) cidade tocar, mas para isso não é preciso o sacristão ir puxar do badal ok?..

Claro que aqui no seu post, temos grandes obras de arte moderna, onde os Viralatas fazem uso disso, destruindo inúmeras coisas, as tribos dos meias tintas que exibem obras de arte iguais ás trombas deles, os Fitipaldis que dormem de dia para competirem nos grandes ralis nocturnos, uma panóplia de rambóia que por aí vegeta pela calada da noite onde é quase parecido com aquela canção que diz assim:

Quando cai a noite na cidade
há sempre um sonho, e há magia
à noite na cidade,
à sempre um sonho até ser dia!..

A magia está presente mas, e os artistas que a fazem onde estão eles?

Lá vem a voz da razão com o comentário estafado!..

Tiraram-nos a força, não podemos fazer nada!..

Será assim como se diz?..

Claro, temos que engolir em seco mas, no faz de conta que é verdade!..

À malvado D. Afonso Henriques, e deste tu porrada na tua mamã por tão pouca coisa!..

Que filho desnaturado hein, isto não se faz, andar uma mãe a criar um filho com tanto trabalho e sofrimento para depois levar no trombone e ficar destronada (lol).

Mais um post que tem o carimbo de 5 *****, e será que alguém duvida?

Claro, há sempre os mamatachos que discordam mas esses, não reza a história, são os chamados sábios loucos que coçam para dentro para não se verem as unhas, vestem fato burguês em dias de calor com gravatinha vermelha, calçam sapato de luva para se esconderem mais rápido, e tem pópós altamente para pastar em belos prados!..

Resta a consolação de neste precioso post, ver umas paisagens loiras para desanuviar a mente de tanta tristeza que por aí anda mas, tenho que dizer isto baixinho senão aparece por aí uma Senhora ou menina Caty que me malha e bem!..

Vou já fugir daqui senão estou feito ao bife..

Bay Bay e força na tecla sempreeee.

Aí vai disto:-lishewi

Não entrou mais outra - solig

Tramagalense disse...

Uma boa risada foi o que o caro Cidadao me proporcinou.
Mas ao mesmo tempo lembrou-mne da estupidez que sao os grafittis em Portugal. Por aqui ha' muitos grafittis, Londres em especial esta' cheia deles, mas a maior parte sao obras de arte e ate' sao preservadas pelos municipios, ou pelos privados se forem algo bonitas ou originais. Em Portugal nao, e' so' besteiras, erros ortograficos e "amo-te...Benfica". Enfim parece que a juventude portuguesa faria melhor se exercitassem a sua inteligencia e talentos noutras coisas mais interessantes. quanto 'as outras obras de arte, devo dizer que o Cidadao tem um gosto que me agrada muito...

Saudacoes Tramagalenses

Anónimo disse...

Caro cidadão, não tenho palavras. Digo sinceramente que estava à espera da seguinte expressão:"de repente bati com a mão na mesa de cabeceira e acordei", mas isso não aconteceu, ou melhor aconteceu mas de outra maneira.
Mas que cenas tão curtidas! Onde é que você foi engendrar cenas tão maradas?
Você consegue, por mares nunca dantes navegados, dar-nos uma cópia divertida da história da nossa península. Vai-nos divertindo com carvões fumegantes de antanhos e brasas fulgurantes da actualidade.
Realmente!
Gostei.
Valeu a pena esperar.
Um abraço amigo do
Cabo do mundo.

Katy disse...

Ò senhor! fiquei com mais uns conhecimentos de história. tem uma maneira esquisita de escrever mas fartei-me de rir.

quem foi a dama que lhe sugeriu esse modelo de homem com as peles penduradas? Mas k mau gosto, sinceramente!
O romano a descansaqr é mais giro!

Anónimo disse...

Coisa forte. Uma istória satírico-realista dos primórdios da nossa história.
Tal como o vandalismo, Algo pré histórico que se arrasta pelos nossos tempos.
Que Vc nunca perca essa boa disposição de espírito para nos ir contando coisas engraçadas, ou não, mas que tanto nos fazem rir!
E as fotos estão mto bem posicionadas no contexto.
Sabe que vou constatando a correcção de algumas irregularidades que Vc vai postando?

Um prof.

Cidadão abt disse...

Caro Aqui-Ali-Acolá!

Você acabou por fazer um post dentro deste post!
Na prática foi um complemento ao trabalho cá do Cidadão.
Olhe que, inspiração e capacidade de improviso não lhe faltam.
Parece que cá o rapaz está a arranjar um concorrente á altura!

Obrigado pela sua disposição, pela sua disponibilidade e pela sua dedicação ao despejar uma bitáitada deste calibre cá na caixinha dos pirolitos do Cidadão abt!
Com sinceridade.
Mande sempre!

Cidadão abt disse...

Ôi, Tramagalense! Sabe que em Portugal já se executam alguns grafittis com muita qualidade... Aliás, cá o Cidadão perde minutos a admirá-los pois considera-os uma arte soberba!
É triste constatar que há quem desvirtue essa arte, conspurcando as paredes com pinturas de mau gosto, inspiradas bem abaixo do nível da cintura.
Também é triste que o Grafitti artístico, não seja bem aceite por esta sociedade conservadora e pejada de preconceitos!
O grafitti, em Portugal, teve os seus primórdios com as acções pré-revolucionárias e desenvolveu-se após a alvorada de Abril de 74, como as características pinturas murais predominantemente de inspiração Marxista-Leninista, Trotskista, de Mao ou, do POVO-MFA.
Era um dos suportes que as pessoas utilizavam para exprimirem e exteriorizarem os seus ideais dando corpo e forma ás lutas.
Pelo que se revela nas restantes "pinturas"(borradas), serão o reflexo da pobreza de espírito das causas e dos ideais que norteiam uma parcela da juventude.

É triste.

Cidadão abt disse...

Katy? Pelo tipo de assunto que a afronta, dá a idéia que esta Caty será a mesma Caty de 30 de Setembro do ano passado quando do post "Aqui há Pardal".

"Eu só sei que nada sei" uma frase célebre e bastante actual. Estamos constantemente em aprendizagem e o maior ignorante é aquele que julga ser detentor de toda a sabedoria mesmo que, de um assunto específico.
A maneira esquisita de escrever faz parte da assinatura do Cidadão na Net!
Não fica giro, ou quê??? Se assim não fosse a sua intensidade de riso seria inferior...
E se fôr menina, um sorriso torna-a sempre muito linda! Conhece por aí alguma unidade de medida do riso? E da alegria? Conhece por aí algum aparelho que sirva para pesar esse sorriso ou essa tal alegria?

O tipo das peles penduradas revela ser um homem adulto e maduro que poderá ir ao encontro dos anseios de algumas senhoras!
Os gostos não se discutem e... prontos! Saberá a Katy que,

"para cada panela, sua tampa?" ...ao caso,

"para um sapo, nasce sempre uma sapa???"

S'tá bem, delicie-se com o romano.

B'jinhos.

Cidadão abt disse...

Aí no Cabo do mundo!Lá teve que ler o post até ao final para se assegurar se não seria por lá outro sonho... mas não! É a pura e dura realidade!

Este artigo ainda deu um bom trabalhinho a ser concretizado!
Tipos jornalismo de investigação! Foi por sugestão de um comentador que se deu o seu início... com fotos e tudo incluído... três semaninhas de dedicação à causa, evidentemente que só nos tempos livres.. que são escassos.Restaram uns pequenitos vícios de linguagem, mas foi o que se arranjou!
Cá o rapaz tinha pressentido a hora da sua publicação e...TUMBA! Se o Cabo do mundo passou bons momentos na sua leitura... cá o Cidadão já se sente realizado!

Obrigadão pela contemplação.

Cidadão abt disse...

Este Prof está um pouco abrásilêrado! Então é assim que se escreve "estória"? Hum... escreveu "istória"... que feio... bááá´!

Há "coisas" que apesar da evolução dos tempos... persistem em se repetir!

E ESTAMOS NÓS NO SÉCULO XXI... poças!

o humor e a boa disposição é algo que se pode distribuir com facilidade, mesmo aos de mau humor! A Web é um bom veículo para essa difusão!
Olhe será preferível oferecer humor e bôa disposição do que as tais "postas de pescada" e "descargas biliares", até porque, o assunto em causa será propício á segunda atitude...Há que fazer a reconversão!
Foi um dom que Deus deu cá ao Cidadão!Por acaso, só mesmo por acaso é que quem rodeia este praça raramente estará mal disposto(a).

Fotos bem posicionadas??? Pudera!

Realmente, também por aqui se vão notando os feed-back's, com a tal mosquinha do LUFA-LUFA um bocadinho mais activa!
Agradecido.

Cidadão abt disse...

Ó Aqui-Ali-Acolá! Isto é grave! Ao responder ao seu comentário, o Cidadão deixou para trás a seguinte questão: na fofo "Ofélias há uns tempitos atrás", qual delas é a mais linda? A morenita, pois concerteza!
Aquela simplicidade, aquela singeleza, aquele sorriso, valem mais do que todas as louras produzidas...tem um não-sei-quê de Portuguesita! Não haja dúvidas que as nossas Portuguesas são muito bonitas!

Maria Marques disse...

Olá amigo cidadão abt!

Mas que belo e interessante texto!
"Pasmo"mesmo !
As suas capacidades não são, certamente ,herdadas dos longínquos bárbaros cuja influência ainda hoje se faz sentir ,teimosamente,na nossa sociedade.

Um abraço e parabéns .

Maria Marques

Cidadão abt disse...

Caríssima Maria Marques,

Em algum momento da vida todos nós cometemos barbaridades. Ou seja, jamais poderemos afirmar que:

"desta água não beberei".

Há no entanto alguns cuja barbárie é uma constante, fazendo com ela, um modo e um princípio de vida!
Isto porquê? Também por uma questão genética... para uns, a pura intuição, o bom senso e a educação naturais, suplantam a necessidade de Leis... para outros, na falta do bom senso a Lei funciona como directiva a seguir...
E para os "tais", os desprovidos de educação, de intuição e de bom senso, para os fracos de espírito, a Lei só funciona por imposição... reside aqui, o cerne da sua existência. Esses tais, são useiros e vezeiros da sua brandura.
A Lei justifica-se pelos cuja liberdade não "termina onde começa a dos outros".
A sociedade ideal seria a desprovida de Lei em que funcionasse o bom senso e a harmonia como pilares constitucionais.
Os bárbaros fazem desse ideal... pura utopia.
Sociedade onde estes bárbaros proliferem, jamais poderá estar desprovida de Lei.

B'noites.

Tramagalense disse...

Boas Cidadao

Nao me interprete mal, eu nao quiz dizer que em Portugal nao haja grafittis decentes. Nao, nao, o que eu quiz dizer e penso que o Cidadao compreendeu e' que uma grande parte das pinturas sao muito pobres e sem qualquer ponta por onde se lhe pegue. A sua expressao de TRISTE, e'de facto uma boa classificacao.

Por falar nisto, de, uma olhadela no meu blog das fotos que vou la' publicar umas verdadeiras obras de arte que se podem apreciar nas ruas de Brighton, cidade do Quadrophenia.

Saudacoes Tramagalenses

Cidadão abt disse...

Caro Tramagalense!"Nao me interprete mal, eu nao quiz dizer que em Portugal nao haja grafittis decentes. Nao, nao, o que eu quiz dizer(...)"Não foi essa, a interpretação que cá o Cidadão fez do seu comentário.
Mas se tivesse sido, que mal viria ao mundo?
Chiça, quase apelida o Cidadão de ditador!
Cada um de nós, tal como Você, temos liberdade para exprimir as próprias ideias, desde que tenham um princípio e um fundamento, e só há que serem ouvidas, discutidas e respeitadas.
Por exemplo, este "discutidas" é no bom sentido da palavra.

Realmente, interlocutor que esteja do outro lado da web poderá interpretar a resposta nesse sentido discordante... foi sómente uma dissertação mais desenvolvida, sem outro intuito. Se assim não se procedesse, estas trocas de impressões limitar-se-iam a uns pobres e monótonos "que bonito", ou "fascinante" ou "concordo consigo" e outras coisinhas assim.
Quando desenvolvemos um assunto, corremos o risco de ser interpretados em variados sentidos. É a indução e a essência do diálogo.
O que interessa, será mesmo a bôa fé!

Por piada, diria: "são os danos colaterais".

Embora já tivesse dado uma rapidinha nos seus trabalhos, o Cidadão de momento anda envolvido nas acções e nos preparos das tais "tarefas de fim de semana"... por vezes até pensa:
"caraças, um tipo, em chegando ao Sábado ainda trabalha e se cansa mais do que durante a rotina diária".
Mas é por uma bôa causa. Pela saúde física e psíquica, razão pela qual ainda não se dedicou ás suas postagens... pois quando o fizer terá que ser com calma, dedicando-lhe uns meditativos minutos, para comentar de pés e cabeça!
Agora, a esta hora, ainda falta preparar a mochila para outra!
Olhe, há romance na rua... os gatôes andam ali a cortejar a minha Gata Cristie!!
Linda sinfonia!
Ela na varanda e à janela, com toda a sua felina sensualidade... e os tipos na rua e nos canteiros, envoltos de uma miadeira sinfónica que não se pode!
É lindo!
É a natureza no seu melhor...
...bom bom... se calhar os vizinhos é que não partilharão da mesma opinião...
ADeus... aDeus!