.

.

Este militante anti-cinzentista adverte que o blogue poderá conter textos ou imagens socialmente chocantes, pelo que a sua execução incomodará algumas mentalidades mais conservadoras ou sensíveis, não pretendendo pactuar com o padronizado, correndo o risco de se tornar de difícil assimilação e aceitação para alguns leitores! Se isso ocorrer, então estará a alcançar os seus objectivos, agitando consciências acomodadas, automatizadas, adormecidas... ou anestesiadas por fórmulas e conceitos preconcebidos. Embora parte dos seus artigos possam "condimenta-se" com alguma "gíria", não confundirá "liberdade com libertinagem de expressão" no principio de que "a nossa liberdade termina onde começa a dos outros".(K.Marx). Apresentará o conteúdo dos seus posts de modo satírico, irónico, sarcástico e por vezes corrosivo, ou profundo e reflexivo, pausadamente, daí o insistente uso de reticências, para que no termo das suas análises, os ciberleitores olhem o mundo de uma maneira um pouco diferente... e tendam a "deixá-lo um bocadinho melhor do que o encontraram" (B.Powell).Na coluna à esquerda, o ciberleitor encontrará uma lista de blogues a consultar, abrangendo distintas correntes político-partidárias ou sociais, o que não significará a conotação ou a "rotulagem" do Cidadão com alguma delas... mas somente o enriquecimento com a sua abertura e análise às diferenciadas ideias e opiniões, porquanto os mesmos abordam temas pertinentes, actuais e válidos para todos nós, dando especial atenção aos "nossos" blogues autóctones. Uma acutilância daqui, uma ironia dali e uma dica do além... Ligue o som e passe por bons e espirituosos momentos...

domingo, 27 de junho de 2010

MEMÓRIA FUTURA I



 MEMÓRIA FUTURA I


Apagar comentários publicados num blogue é um acto de censura semelhante aos praticados nos regimes totalitários.

Apagar comentários publicados num blogue é desconsiderar os seus leitores e os seus autores.

Apagar comentários publicados num blogue é ocultar as opiniões de terceiros.

Apagar comentários publicados num blogue é livrar a responsabilidade daqueles que os redigem.

Apagar comentários publicados num blogue é negar a liberdade de expressão dos seus autores.

Apagar comentários publicados num blogue é assumir incapacidades.

Apagar comentários publicados num blogue é fugir ao confronto de ideias.

Apagar comentários publicados num blogue é negar a pluralidade de opiniões.

Apagar comentários publicados num blogue é negar o direito á diferença.

Pela liberdade de expressão, pela pluralidade de opinião e para memória futura, o Cidadão abt faz questão em republicar algumas sequências desses comentários, amordaçados no blogue LAGAMART.
 Para que a memória não nos seja curta, cá vai a primeira parte:
PARABÉNS JUNTA. ESTÃO A DAR UMA LIÇÃO À CÂMARA!
Está provado, que desde que haja vontade e atitude, as pequenas obras podem fazer-se na freguesia sem grandes gastos. Dessa forma alindam-se os locais em estado critico ao nível da conservação e pintura, como é o caso que a foto documenta.
São as paredes exteriores envolventes ao Mercado Diário, vulgo "praça", do lado do edifício sede da Junta de Freguesia, e as do lado perpendicular a este, da escada de acesso à zona de venda de peixe.
O pior, é quando se tratam de edifícios sob a alçada da câmara. Esses, são os que se apresentam em pior estado, e, por enquanto, não se vislumbra nada.
Será que está mesmo programado a conservação e a pintura das paredes dos locais já aqui muitas vezes difundidos pela negativa?
Estou em crer que sim, porque a comitiva da Sra Ministra reparará em tudo, e, obviamente que a presidente de câmara não quererá que o concelho, não o Tramagal, seja objecto de reparos por coisas menores e às quais não liga patavina.
Parabéns Junta de Freguesia.
Não me recordo de alguma vez estas paredes terem sido pintadas!
Abílio Pombinho

34 comentários:

João Baptista Pico disse...
Não o elogie muito se não ainda se estraga...
mas não há dúvida que é de autarcas assim que precisamos de ter pelo concelho, que sabem pegar na trincha e estender tinta.
Se me diz que aqueles muros nunca viram tinta, então melhor ainda.
Quanto aos edifícios da câmara sesrá bom obterem o consentimento da dona da obra, não vá vir multa e processo por invasão de propriedade pública...
31 de Maio de 2010 18:37

O Cidadão abt disse...
Veja lá, mister Abílio...

Os elogios reservam-se para João Baptista Pico pois nunca serão demasiados.
31 de Maio de 2010 23:47
João Baptista Pico disse...
Pelo menos merece os elogios e o respeito por dar o nome - João Baptista Pico - como o comentador atrás não teve acanhamento em sublinhar, enquanto rabiscava um pseudónimo onde se esconde sempre.
E já que o comentador gosta de andar e caminhar tanto pelo concelho, traga cá para a gente ver quem quer dar-se ao trabalho de escrever todos os dias sobre problemas que nos atormentam a todos, sem cobrar taxa aos municípes, nem auferir salário municipal, nem sobrecarregar-lhe a conta da água. É que o comentador, quando muito, escreve uma vez por semana...
Mas fique lá com os seus elogios todos para si, porque para mim, dispenso-os muito bem...
1 de Junho de 2010 01:28
Lamacheira e Barca disse...
Parabens, ao executivo da junta, e principalmente ao Abilio, quer pelo "levantar da lebre", quer pelo discurso cordial de apoio ao trabalho executado pela Junta.

P´ra frente Tramagal.
1 de Junho de 2010 10:19

O Cidadão abt disse...
Olá, mister João Baptista Pico!

Cá o Cidadão já tinha saudades em trocar umas impressõezecas com o mister!
Finalmente, chegou uma oportunidade ímpar!

Como a área profissional deste comentador não se cinge à construção civil que parece andar com poucas encomendas de serviço após o boom do dinheiro fácil vendido pelas instituições bancárias, permitindo que se construíssem fogos habitacionais a torto e a direito, inversamente proporcionais à explosão demográfica em descensão e que agora não tem venda, é natural que o amigo João Baptista Pico tenha tempo mais do que suficiente para bater record's postativos nestas coisas da Web!

Cá o Cidadão inveja-lhe essa disponibilidade pr'ó bitáite.
Mas... melhor pensado, também não era vida que se arranjasse a este praça hiperactivo!
Será que se o Museu Ibérico for "avante"... (desculpe o termo, pois não lhe deve agradar por aí além)... já o mestre Pico não terá a mesma disponibilidade para bitáites.
Quanto ao hábito de caminhar tanto pelo concelho, isso é saudável. Purifica-nos o corpo e o espírito alargando-nos as visões. Mas o busílis da questão mesmo é que, este caminhar transpõe e de longe, os limites do concelho abrantino!
Se o amigo fizesse o mesmo haveria de constatar enquanto a barriguita se ia ás urtigas!
Mas não, é BM "verde"? para frente, BM para trás... vá lá, ainda faz jus aos Non Name Boys!
Perdido no deserto e o Cidadão por vezes tão perto...

É verdade. Essa das águas, dos resíduos e das sobre-taxas, não há edil ou assembleia municipal que as demova.
Fala em tormenta? É mais fácil transpor o Cabo das Tormentas, porque quando toca ao mexilhão, a coisa esquece.

Por ora, o mister anda mui generoso... deve estar um burro para morrer... então oferece os seus elogios todinhos cá ao praça?! Assim arrisca-se a perder protagonismo político, caraças!
São o raio das cortesias a funcionarem!

Votos de boas intervenções!
1 de Junho de 2010 13:54
João Baptista Pico disse...
O "Anónimo ABT", porque para mim abrantinos têm nome, insiste num tema bacoco e insidioso.
E quando fala na oportunidade para dizer alguma coisa e debater algo, logo se atira a reler a ficha, que parece a reedição da ficha da pide,já com o timbre do copcom do otelo, pois eu sei as fichas que encontrei nas centenas de carros da PIDE/DGS que recolhi após o 25 de Abril e 15 dias depois passaram esses carros para uns rapazes do copcom...
.
As referências ao andar no carro verde para cá e para lá é de bufo! E com a agravante de se dizer que andava ou estava tão perto...
Quem lhe paga para me espiar?
.
Depois a alusão ao MUSEU IBÉRICo só por safadeza.
Eu não contrui nenhum museu, nem estou interessado em ganhar algum concurso. Portanto, tire daí a ideia...
De resto, já há muiuta gente a facturar de mais, coisa que nem aprecio. Levo mais de 50 anos sem factura ao Estado, não era agora que vinha para Abrantes fazê-lo. .
Quanto ao "construir a torto e a direito habitações com o boom do dinheiro fácil dos bancos" só por ignnorância, o poderá referi com esse tom censurável e tacanho.
Em 1974 existiam centenas de milhares de barracas e construções clandestinas.
Agora explique lá como é que havendo nessa ocasião o tão propalado MERCADO DE ARENDAMENTO as pessoas iam para barracas?
É que ainda hoje uns trapalhões e ignorantes gostam muito de molhar o bico nessa do ARRENDAMENTO, como se após a inflacção galopante de 1975 em diante, ainda pudesse haver por aí as rendas de 1.110$00 ( UM conto cento e dez escudos)...
Se não tivessem construído mais de 700 mil fogos ainda hoje aí tínhamos as barracas e os clandestinos sem água, luz e retretes sem banho, como em 1991 ainda o Censos no Concelho de Abrantes apontava entre as 15 mil habitações familaires, quase 5 mil não tinham água, luz e retrete com banho...
E NUNCA os trabalhadores e funcionários médios se podiam atirar a rendas de 50, 100 e 200 contos, que seriam os preços correntes hoje em dia.
O ARRENDAMENTO
é conversa de parolos...
Só havia a alternativa da construção...
Em betão que sempre era mais resistente do que as palhotas...
.
Poderia dizer o " Anónimo ABT" mas não disse, porque ignora as realidades, que foram os terrenos para construção possuídos pelos "latifundiários de sempre", que aumentaram de preço aí mais de 300 vezes e onde se espreitasse uma praia, então aumentavam 500 vezes desde 1974, que hoje empurraram os portugueses para o crédito mal-parado...
.
Com efeito enquanto os terrenos aumentavam 300 vezes o preço dos andares só aumento entre 100 a 150 vezes.
ESPECULADORES eram todos os que colocavam o seu andar à venda um ano ou dois depois de o comprarem ao construtor e porque queriam mudar de "VIZINHANÇA" e vai de pedir logo o dobro do preço por que o haviam comprado a quem ainda teve que pagar a construção, o terreno e os impostos...
PODE Não ACREDITAR e até fingir um ar de espertalhaço, mas foram OS GOVERNOS de CAVACO e GUTERRES que deixaram pular a inflacção dos terrenos enquanto "adormeceram " os ambientalistas de cartilha com parvoíces de PDM`s e outras tretas...
E bastava terem feito a "entrada" no mercado de umas "bolsa de terrenos do Estado e das autarquias" para regenerar e moralizar os preços. Houve aí um socilaista em Abrantes que se fez urbanizador municipal para acabar especulador de terrenos nas urbanizações municipais: ENCOSTA SUL COM terrenos de moradias ao preço da COSTA DO ESTORIL!!! Fora o Tramagal, a Bemposta etc,etc,...
E as ARRECIADAS COM a ALTA TENSÃO À VISTA DESARMADA NAS IRRADIAÇÕES...
OH " Anónimo ABT" mas que quer mais que eu lhe diga?
Você enganou-se no nº da porta...
1 de Junho de 2010 18:03

O Cidadão abt disse...
Ao abrir a caixita de comentários deste ” Lagamart” foi o suficiente para cá o Cidadão abt cair fulminado! O que lhe valeu foi a Companheira estar por perto e socorrer com um copo de água gelada e um Valium 10!

Meia hora depois, mais calmo e recuperado, este praça lá conseguiu bitáitar isto que se segue iniciando com um reparo de que o mister João Baptista Pico é um saudosista em toda a linha!

Juntemos os termos “instituições bancárias”, “ócio”, “Museu Ibérico”, “avante”, “BM”, “elogio”, “protagonismo” , uma pitada de sal num tacho com pés de barro e resulta numa valente caldeirada!

Saudosismos...
Desde outros tempos, estamos ambos na mesma, em nada mudámos... mas no que toca cá ao rapaz, já não há nada a fazer pois isto é crónico...São as “crónicas de um Cidadão de Abrantes”...
Eh! Eh!

Regressando a mister Pico, detonadas as ideias após sacada a cavilha, é de recordar o seu tão resumido e nada repetitivo ou redundante discurso belicista recorrendo a um tipicismo vocabular com as invariáveis expressões: “bacoco”, “bufo”, “safadeza”., “ ignnorância”, “tacanho”, “trapalhões”,”ignorantes”, “parolos”, “espertalhaço”, retiradas de um universo superior a quatrocentos mil vocábulos da língua portuguesa... teclados numa atrapalhada dislexia. Fora desenterrado o machado de guerra!
Aqui não há nada a fazer... Os fantasmas do Copcon e da Pide ainda o atormentam nos tempos que correm.
Ó homem, deixe-se de complexos de perseguição que ninguém lhe quer mal!!!
E cá o Cidadão não se aborrece! São apenas dois dedos de bitáites puxadotes, pertinentes e bem dispostos... nada mais!

Deixe lá, se não fosse assim, o amigo não tinha um ombro em quem descarregar e desabafar as suas amarguras.

Limpo destes condimentos, o mister João Baptista Pico tem toda a razão no seu discurso!

Faça o favor de ser feliz e votos de boas postagens!
1 de Junho de 2010 21:47
João Baptista Pico disse...
Isto de falar em coisas públicas em Abrantes parece só estar acessível a alguns.
Esses mal arrotam e soa um coro de aplausos, que gajo aquele, gajo porreiro, amigão da terra, blá,blá,blá...
.
Esta Abrantes tem particularidades muito tristes e limitativas.
Depois há os que se chegam a tiudo onde escrevo e sem nunca aplaudirem nada, saltam logo esbafuridos, o que você quer eu sei bem...
O outro tonto berrava que eu queria construir nas hortas do Souto.
Não fazia a coisa por menos. Porque se o fizesse haveria uma data de estúpidos que nem iriam perceber bem a estupidez da desconversa...
Então ficou essa imagem, que todos os dias um serventuário qualquer lá vem repetindo, não vá outros fracos de espírito esquecerem-se da minha "malvadez".
Sim eu digo mal dos outros. Imaginem o sofrimento que para aí vai, comigo a dizer mal de uns tantos que nada têm de bom...
Imagino o sofrimento de quem tanto me ataca porque eu digo mal do que está errado. E ESSES ANJINHOS, dizem mal do quê?
DE quem quer corrigir ou está com esse genuíno propósito. Pois é, esse genuíno propósito é que é uma carga de trabalhos.
Eu não posso ser genuíno.
Não posso ser original.
Eu tenho que ser estúpido como outros que a natureza não os favoreceu lá muito, com a massa cinzenta.
Já podiam ter dito isso... Não por mim, mas por causa de outros que podem pensar o mesmo que esses artolas.
"PRONTOS" estamos conversados...
1 de Junho de 2010 22:24
José Baptista disse...
Oh amigo Cidadão...
Fazer o quê?
O Pico que nem escrever sabe (ou pelo menos não corrige os erros e depois temos que ler os textos 2 e 3 vezes para perceber o que ele quer dizer) mais uma vez ficou com a sua exacerbada prosápia na mó de cima...
Porra que o homem é mesmo bom...
Acho que ao pé dele Nosso Senhor Jesus Cristo era um aprendiz...
1 de Junho de 2010 22:59

O Cidadão abt disse...
Huummm...

O nosso ciber José Baptista também quer conversa...

Quem ganha com isto é o nosso estimado Abílio Pombinho que tem o blogue dele mui bem frequentado!


Entenda-se aí com o mister João Baptista Pico porque cá o Cidadão abt tem o corpo moído e necessita ir chonar...
...pois amanhã é mais um dia de pica-boi!
1 de Junho de 2010 23:12
João Baptista Pico disse...
É por causa de certos tipos que a Coreia do Sul que em 1960 estava no fundo da lista da OCDE em anos de escolaridade, agora deixou-nos ficar à mesma no penúltimo lugar entre 32 países e já alcançou o 2º lugar ex-áqueo com o Reino Unido.
Esses tipos ainda continuam em 1960...
1 de Junho de 2010 23:19
José Baptista disse...
Eu não quero conversa aqui porque só converso com quem sabe conversar. Se o Cidadão se vai baldar, eu com o Pico não converso... Ele não sabe dialogar... Só monologar...
1 de Junho de 2010 23:19
José Baptista disse...
Exacto Pico...
Há gajos que ficaram com a 4ª classe, são construtores civis e andam de BM ou Mercedes.
É por causa de gente dessa que o país está como está... E a Coreia está à nossa frente mas não é por isso: É porque se calhar tem lá mais trabalhadores que políticos ou protótipos disso.
1 de Junho de 2010 23:28
João Baptista Pico disse...
Agora já há quem goste de "monologar"?!
Troquem todos de BM e de Mercedes e passem aos AUDIS 6... será?!!!
Foi o que fez um professor por Abrantes, que há 6 ou 7 anos indo numa campanha de visitas e sendo ele deputado municipal e eu vereador, na visita às freguesias em causa, a um sábado, por mera coincidência tinha vaga no meu carro e ele foi comigo e outro.
Ao entrar no BM de 5 anos, logo exclamou:
-Mas isto é carro à "facho"!
Há um ano atrás cruzo-me com ele na rotunda de Stª António, estava eu a pé e vejo um AUDI 6 a deslizar pela rotunda e qual não é o meu espanto ao ver o que nem queria acreditar. Era o dito cujo! Agora também já andava de carro à "facho"...
Só um erro de análise politiqueira incorrecta poderá estar na origem dessa apressada explicação, "de que se calhar há mais trabalhadores do que políticos na Coreia", devo anotar que a Coreia em causa é a do SUL e não a do Norte.
E é no Norte que há mais trabalhadores e menos políticos, pois no Norte só o pai "Imperador" e o filho "Imperador"e mais a polícia política...
.
Não, não é por isso. É que na Coreia, ninguém continua ignorante, desculpando-se com os "gajos que ficaram na 4ª classe, e que andam em BM ou Mercedes".
Um sujeito que dissesse isso na Coreia do Sul, que é um regime democrático, tonha o desdém e a reprovação dos outros cidadãos e era "forçado" a arrepiar caminho e a concluir que uma observação dessa natureza era demasiado primária e desonesta intelectualmente falando, claro...
E agarrava-se aos livros e estudava mais boas maneiras.
AQUI, leva palmas dos amigos que até lhe vão pagar uns copos lá na tasca e gritar:
BOA ou ZÉNá, agora é que chegaste para os gajos, PORRA!
E lá ficaram os ignorantes que pululam pelos centros de decisões com uma mentalidade primária e um canudo enviado por fax ou similar mais aliviados por terem um povinho assim tão fácil de contentar e de se satisfazer, arrumando com os tipos da 4ª classe que se passeiam com BM e Mercedes...
A humanidade assim não passava da cepa torta...
2 de Junho de 2010 07:55
João Baptista Pico disse...
E agora dei conta, de quantos por aqui passaram a escrever e nunca mais ligaram à obra asseada do presidente de Junta do tramagal, meu colega conselheiro municipal de Segurança, por sinal.
.
Afinal o povo, não sabe ser agradecido com os autarcas e tanto fala que se esquece deles. Principalmente, quando fazem obra asseada como a que este post enaltece...
.
Obviamente, que o "não o gabe tanto que se estraga2, só podia ser entendido como uma fina ironia, que nem todos estão à altura de interiorizar, como se provou a seguir. E vejam bem até onde chegou a discussão.
Um porque não queria elogios para mim. Outro porque a culpa era dos gajos com a 4ª classe e BM ou Mercedes e dos erros que eu não corrigia e assim mais o obrigava a ler, duas e três vezes.
Só por isso, mais me tinha que agradecer. Já vai sabendo ler melhor... O escrever melhor virá a seguir...
2 de Junho de 2010 08:36

O Cidadão abt disse...
C'um catano!

Foi um tiro no porta-aviões!!!
2 de Junho de 2010 23:10

O Cidadão abt disse...
Entretanto, regressado dos arrabaldes da Capital, este curioso praça não resistiu em desviar pelo Tramagal e em que reparou?

O muro da EN 118 que circunda os terrenos junto ao Ribeiro Sêco... também já tem umas camadas de tinta branca estendidas por ele adiante.

Mais um ponto positivo(leia-se elogio) gggrrrr...
":« ":«
a acrescentar ao edil da junta de freguesia...
":«
3 de Junho de 2010 00:33
João Baptista Pico disse...
Água mole mole em pedra dura, tanto dá até que fura"!
Foi interessante do ponto de vista da cidadania e da teoria da ciência política, verificar quanto a Matriz do Ferro, e os "Livros do Comendador" ainda se sabem libertar da ferrugem da espuma dos dias...
Branco é branco!
3 de Junho de 2010 12:00
Abílio Pombinho disse...
Caro Cidadão Abt:
Vejo que está bem informado e bem documentado sobre a vida do Tramagal. Percebo que queira dar uma bicada sobre o facto de a pintura do muro ter sido executada em propriedade alheia visto que aquela propriedade é privada e de eu a ela não me ter referido. Não o fiz porque não quiz e o sr. não tem nada a ver com isso.
Sobre o resto, não acha que se está desmascar mais a cada dia que passa ao usar termos que são muito próprios dos tramagalenses em especial referindo-se ao Ribeiro Seco? Seja sério, deixe-se de tretas e de se encanpotar por detrás desa máscara, porque quem está envolvido nestas andanças sabe bem quem você é, e que até reside no Tramagal. E mais não digo a não ser que se inscreva para o 1º encontro de bloguistas de Tramagal e região envolvente.
Tenha coragem.
3 de Junho de 2010 20:18
João Baptista Pico disse...
LOL
Tiro no porta-aviões e no submarino...
3 de Junho de 2010 20:43

O Cidadão abt disse...
Mister Abílio!

Acabou por dar um tiro na água!!!

Mas antes na água do que, como na precipitação pré-eleitoral das últimas autárquicas, o ter dado num pé!
3 de Junho de 2010 21:19
Abílio Pombinho disse...
Ó Cidadão,
O tiro teve que ir à água para acertar em cheio no submarino. E ouviu-se bem da sua porta o bater na chapa ali no porto da barca.
Passe bem...
3 de Junho de 2010 22:20

O Cidadão abt disse...
Caríssimo João Baptista Pico.

Regressado da Capital, logo este praça foi interceptado por alguns seguidores que o alertaram para um post que o ciber colocou no dia 30 de Maio do corrente ano com o link que se segue:



http://picozezerabt.blogspot.com/2010/05/3-051-e-agora-ptresidente-ja-sabe-que.html


Dito conhecedor do terreno que pisa, nele o senhor Pico refere que a freguesia de Aldeia do Mato geograficamente nada tem a ver com a estrada municipal que liga a freguesia de Martinchel á freguesia de Rio de Moinhos, terminando junto ao cruzamento do cemitério da Amoreira!
Para a maioria desconhecedora dos terrenos em referência, o amigo João Baptista Pico, brilhou!
Para os restantes, mais uma vez o senhor Pico se armou aos tentilhões!

Brilhou e criou uma discussão entre o Cidadão e três “cabos de esquadra” dos caminhos e da blogosfera, cada um com a sua teima, embora cá o raciocínio do Cidadão aparentemente fosse o correcto e, se estes comparsas o pensaram, melhor o fizeram.
De mochilas ás costas, juntou-se o pessoal á carta militar 321 e uma bússola prismática e, pela matina deste feriado, Dia de Corpo de Deus, dia santo para aqueles que vão assistir á eucaristia, alguns deles batendo coma mãozinha no peito para depois virem para aqui destilar raivas e erróneas suposições e insinuações, umas vezes identificados, outras mais anónimo que cá o Cidadão, tipo espanta pardais, e como ia escrevendo, vai daí e fizeram-se aos caminhos dos limites do concelho abrantino, estes quatro comparsas... missão: calcorrear o limite geográfico a Oeste da freguesia da Aldeia do Mato, ligando os marcos. Pé de borracha estacionado junto ao lugar da Casinha, acima da Amoreira e primeiro ponto de referência da freguesia da Aldeia do Mato, foi de galgar aquelas encostas, cruzando precisamente a estrada municipal em causa, ali no alto, perto das linhas de alta tensão, nas barreiras de barro... descendo, alcançou-se o ribeiro do mosteiro e a ribeira do Carvalho... em direcção a Montalvo... sendo o concelho de Constância do outro lado da ribeira. Foram tirados uns azimutes que deram em inflexão e vai daí, toca de galgar para Nordeste, vindo sair a um cruzamento de terra entre barreiras, bem no alto de Vilelas! Estava outra vez ali a estrada municipal em referência!

Conclusão: Afinal a dita estrada municipal atravessa as três freguesias!

Rejeitar responsabilidades por esse motivo, não pega!

3.4 Km em Martinchel, 2,3 Km na Aldeia do Mato e os restantes Kms na Freguesia de Rio de Moinhos porque os seus limites geográficos a Oeste avançam em direcção ao concelho de constância!
Encomendada pela equipa exploradora do terreno, formada por quatro bravos elementos que só regressaram a casa pelo fim desta tarde, aqui vai a observação:

“-Portanto, amigo João do Pico, caminhar pelo concelho... sempre nos cultiva... e nos minimiza as probalidades de escrevermos disparates!”

Mais, este foi o sítio mais indicado para despejar este comentário visto que a caixa de comentários do blogue do Pico do Zêzere abt se encontrar interditada.

:) :)

Quanto á estratégia utilizada no momento por Abílio Pombinho, já a utilizou o ano passado como anónimo nos blogues do Tramagal, numa segunda tentativa de, tentando acusar terceiros, e contando com o carácter e a ética do Cidadão, este se retire do seu espaço...
Escreva antes... ó Cidadão, vá-se embora e não chateie que nos está a incomodar!

Baixinho, isso!
3 de Junho de 2010 22:52
Abílio Pombinho disse...
Este cidadão está mesmo a armar-se aos cágados. Como lhe bati nos calcanhares toca de saltitar e armar uma cilada escrevendo o que escreveu no punultimo paragrafo do seu último comentário.
Por quem me toma seu zé da cachoeira?
Sempre dei a cara quando se trata da causa pública e você andou sempre encapotado e como sabe o que fez no dito blog, e no ano passado no blog Tramagal quer fazer passar a ideia de fui eu.
Gente desta como você não é bem vinda não senhor, seu intrujão mentiroso e cobarde que usa uma capa para andar a safar-se do que já não é possível.
RUA...
3 de Junho de 2010 23:09

O Cidadão abt disse...
Eh! Eh Eh!

Não gostou??

Agora já é: "Zé da Cachoeira"!

Eh! Eh! Eh!

Um óptimo perfil de um candidato ás edilidades camarárias...

Assembleia?

Vereação?

Hummm!

Nada mau, não senhor...

Acalme-se ciber Abílio Pombinho que isso afecta-lhe a bílis e o sistema digestivo no seu todo!!
3 de Junho de 2010 23:26
Abílio Pombinho disse...
Nem de desprezo é farto seu cobarde encapotado. Vá gritar para outra rua, no meio dos salgueiros aí no porto da barca.
3 de Junho de 2010 23:35

O Cidadão abt disse...
Estimado Abílio Pombinho... contabilize quantos foram os termos ofensivos utilizados cá pelo bem humorado Cidadão dirigidos á sua pessoa ou afins...
Já os contou?
Muito bem... mesmo que encontrasse algum, foi conferida autoridade a este praça para o citar na medida em que os seus interlocutores usam e abusam deles...
Agora, mister Abílio e mais quem esteja a seguir esta comédia franciscana no final de um dia feriado de Corpo de Deus, contabilizem quantos foram os termos ofensivos e caluniosos utilizados pelo Exmo Senhor Abílio Pombinho após a explanação-vs-esclarecimento numa linguagem aberta e moderada deste Cidadão abt acerca dos assuntos atrás mencionados...

Algo estranho, nisto.
3 de Junho de 2010 23:56
João Baptista Pico disse...
Ao "Cidadão Abt",

A sua "acusação" é abusiva e desonesta, desde logo porque está aqui a acusar-me, quando eu estou devidamente identificado e o "Cidadão Abt" é um anónimo disfarçado.
Não me parece correcto que quem usa o anonimato, não tenha autoridade moral e legitimidade ética para atacar outro abrantino, de verdade e de coração.
.
Depois serviu-se de uma habiliadae e juntou uma casualidade tangencial - a Aldeia do Mato chega à dita estrada no alto de Vilelas, entre as barreiras que anota, mas de nada lhe serve essa estrad pois um quilómetro à frente tem o Posto de Observação Florestal que continua em estrada de terra batida e assim prossegue mais uns dois kms até à Medroa. A Medroa é a povoação da freguesia da Aldeia de Mato, que acaba por ser lesada, pois com esse troço de 3 kms podia encuretar distância para a A-23 e para Abrantes em cerca de 7 kms.
Mas essa injustiça para com a Medroa o Cidadão ABT nem a menciona.
Aliás começou por baixo pela Casinha e nem falou da injustiçada Medroa.
Sete kms poupavam os moradores da Medroa com essa estrada que vai desembocar à estrad da Amoreira para Martinchel.
É que assim têm que continuar para as bombas de Vilelas descer ao Ribeirão e subir a EN 358 em Martinchel até Vale de Chões e Monte Branco até ao cruzam,ento para a Medroa: 7 kms!
.
e olhe que a vereadora não falava em alcatroar esse troço que desembocava na estrad principal.
Já agora também podia falar na necessiodade de Constãncia ajudar no alcatrão...
.
Gabo-lhe a paciência de andar logo hoje um dia Santo, do Corpo de Deus a trabalhar par "desagravar" a Srª Presidente. Mas não sei se ela lhe agradecerá a sua esforçada mas inútil prosápia...
.
Com que então andava a armar aos tentilhões. Ora vá lá dar mais uma volta ao Posto de Observação da Medroa , que parece que nem deu conta dele e veja melhor as coisas...
E quando quiser rebater os meus pontos de vista, faça-o com melhores argumentos...
.
E não volte a emprenhar pelos ouvidos, de que três cibernautas lhe disseram que eu disse...
Mais parece uma quadrilha organizada para me saltarem ao caminho. E logo por Vilelas que carrega mau Shy...
4 de Junho de 2010 00:17

O Cidadão abt disse...
Ó senhor João Baptista Pico!

Chama uma "casualidade tangencial" a esses 2,3Kms de estrada municipal dentro da freguesia da Aldeia do Mato?

Pelo amor da Santa do Tojo!

Olhe que a pé, são 25 minutos de marcha!

Esse troço é praticamente um terço de toda a estrada municipal em referência!
De carro é que esse troço nos parecerá tangencial pois serão para aí uns três minutos para o atravessar!

Neste contexto, o resto do seu discurso em se meter por outros atalhos florestais e supostas pavimentações, não passa de puro contorcionismo!

Boas postagens!
4 de Junho de 2010 00:40
João Baptista Pico disse...
Está a jogar com as palavras e a meter a rídiculo
o conceito de freguesia. Um ultrage para a freguesia da Aldeia de Mato, que o senhor quer à força dizer que atravessa uma estrada que serve um troço entre a A-23 no cemitério e no campo da bola da Amoreira e Martinchel a principal beneficiada directa.
.
Agora nada diz por deixarem a Medroa de fora, que seria a única povoação da freguesia da Aldeia de Mato a chegar-se mais perto (aí uns 3 kms) à tal via principal, que é uma estrada municipal,feita pelo Engº Bioucas, em cima dealguns troços antigos ou alterados, como nas curvas de Vilelas, logo não era a junta a fazer lá obras...
.
Mas insiste e nem discuto, que a freguesia é atravessad por 2,4 km pela dita estrada.
Quem conhece a vasta extensão da freguesia da Aldeia de Mato e olha para essa estrad e chewga-se a esses montes onde passa a estrada e olha cá para baixo para esses vales, e há.de jurar que seria por ali que alguma vez iria para a Aldeia de Mato.
São penhascos e barreiras com uma inclinação a pique, que ninguém consegue subir e a descer nem todos se atrevem.
Mas quer o cidadão, com a prosápia do seu estilo fazer uma peça literária do assunto. Essa liberdade criativa é sua e estime-a. Porém, nãoi se socorra dela para desmentir uma evidência destas: aquela estrada passa nos fundos dos quintais da freguesia da Aldeia de Mato, no último sítio onde seria possível rasgar um acesso digno para seres humanos.
Se o cidadão quer chamar a isso uma estrada na Aldeia de Mato chame-lhe. E se quiser ir por aí , vá.... mas não se esqueça que o avisei do erro...
.
E se quer encontrar um pretexto para hoje ir lá dizer aos amigos da Câmara com quem se dá, vá lá que ainda vai a tempo de uma condecoração dia 14.
Sabe o cidadão abt escreveu num comentário uma frase que o denunciou como muito chegado aos serviços municipais. Essa não me escapou. E a menos que não seja como o outro professor que não fala de coisas do serviço dela, com a mulher, acho que essa ficou como alerta...
.
Todavia, registe-se o seu atribulado e desnorteado azimute da justiça das coisas.
Só por aquelas barreiras irem tocar na estrada, o cidadão Abt - e que ABT - já acha digno que se exija aos fregueses que arranjassem a estrad para o pessoal de Tomar lá passar, quando vai à área Industrial de Montalvo. Sim essa estrada serve muito esse sector. Coisa que não incomoda muito o Abt, pois o Abt sempre gostou de abrir as pernas para deixar passar os que são de fora. Abrantes, má mãe, mas boa madrasta...
Bons azimutes!
4 de Junho de 2010 09:29
Caracol disse...
Olá "amigos"

Deixem-se de tretas ao fim e ao cabo todos devemos pugnar pela boa educação porque a não ser assim perdemos todos a razão.

O Sr.Abilio sabe bem quem eu sou não faço mais que é mencionar o alcunha porque sou conhecido e com muito gosto mas apesar disso não vou nunca descer o meu discurso, posso não estar de acordo mas descer o nível nunca.

Quando houver o encontro dos Globistas eu vou lá estar e espero que voçês também até para cara a cara dizer-mos aquilo que nos vai na alma e no fim levantar-mos o copo com um bem haja a todos.

Só um conselho ao Sr.Abilio.... Não perca a calma porque o Blog é seu e se o nível descer de um momento para o outro ninguém cai ligar ao mesmo.
4 de Junho de 2010 12:12
João Baptista Pico disse...
Tem toda a razão o Sr. Caracol, se bem que o Abílio Pombinho tem razão em estar aborrecido com a intromissão de alguém que quer desestabilizar e ofuscar a seriedade e o empenho de quantos vêm vindo aqui tomar posição frontal contra maus desempenhos.
Aqui, trabalho é trabalho, conhaque é conhaque.
Depois de alguém no seu blog ter elaborado uma cavalhada com alusões a pombais e a tiragem de sangue - o "vampiro" quis vir poisar aqui no blog do Abílio Pombinho para defecar a última bosta.
Largou o que tinha a largar e rebolou-se várias vezes, sobre a dita. Há coisas assim neste mundo.
No entanto, numa coisa aqueles tipos nunca se esquecem , que é tentar fazer desviar as atenções do importante para levar todos a irem
a correr para o assessório...
Um branqueamento quase perfeito, não fosse alguns já por cá andarem há tempo suficiente para lhe porem uns merecidos patins debaixo dos pés...
Não se perca mais tempo com isso.
Vamos à água nos fontenários que vem aí mais calor.
4 de Junho de 2010 14:05
José Baptista disse...
Quando li o ultimo comentário pensei que o Pico estava a fazer um auto-retrato...
Como pode o Pico falar assim de alguém que é ele próprio?
sr Pico ganhe vergonha na cara, permita os comentários no seu blog e largue os blogues dos outros.
Deve andar à espera que o Pombinho lhe pague o almoço (nisso vc é bom) por ser advogado dele.
Tenha coragem e não chame cobarde aos outros... Tem medo que lhe façam o que faz aqui?!
4 de Junho de 2010 23:17

O Cidadão abt disse...
Então??

Comporte-se!

Cá temos novamente o senhor João Baptista Pico no uso daquela linguagem que tão bem o caracteriza e dela faz a sua imagem de marca alargando-se em brilharetes conspurcados, quando supõe que já poucos lerão os comentários deste post.

Desde os tempos em que o João baptista Pico ia ás agúdias lá pelos campos das freguesias de Martinchel e da Aldeia do Mato até ao momento foram-se uns anitos, razão mais que suficiente para se atrapalhar nos nomes dos locais que vai descrevendo... ou por outro prisma, as custilos dariam folga aos tentilhões!


Em primeiro lugar, o Senhor Pico nunca deve ter bebido água na Fonte do Ribeiro, sitio a que chama de "Ribeirão".

O “Ribeirão” encontra-se na EN358-2, (e não na EN 358), que liga a Alagoa a Constância, naquela descida íngreme antes do pontão e da Azenha dos Matos, onde há muitos anos se deu um grave acidente de viação envolvendo um autocarro de uma excursão.

Em segundo lugar, o ”Monte Branco” é nos Alpes Franceses e o local a que se quererá referir será o Cabeço Branco alui atrás do Lagar do Zé Bispo...!

Em terceiro, a Torre de Vigia está no cimo da Vergeira!

Depois vem aquele trecho do senhor Pico que se ex-cita:

“querem é arredar e desacreditar o único abrantino, que ataca os erros da câmara com o propósito de melhorar os desempenhos em favor dos municípes”

Esta é forte demais! Se o amigo Pico se considera o único abrantino com essas características... os restantes abrantinos politicamente correctos conforme os conceitos de João do Pico, incluindo os blogger’s, dá-nos a depreender que têm exercido um trabalho nulo nessas matérias! Coitados deles!

Numa linguagem mais literária e evocando Cervantes, deixou passar aqui a imagem de um Dom Quixote a lutar contra os moinhos de vento!!!

Ai Tomás, isto não se faz!

Ao pintar o quadro da viagem dos sitiados da Medrôa rumando en’Abrantes, o pincel inflecte-lhe para a esquerda, na direcção de Martinchel, Vilelas, A23, e por aí adiante, fazendo com que os desgraçados dêem uma volta ao bilhar grande e alguns só de deslocam de motorizada, inviabilizando a auto-estrada.

Mas eles, mais inteligentes, em vez de Inflectirem em direcção a Martinchel, viram na direcção á sede da freguesia e, na Cruz da Aldeia, descem a Ladeira do Porto Escuro em direcção á Pucariça e a Rio de Moinhos, poupando uns quilómetrozecos jeitosos...
Depreende-se que o senhor João Baptista Pico desconheça este caminho... ou queira mais uma vez pintar o quadro ao seu agrado?

È justo que o senhor Pico lute por uma ligação asfaltada entre a tal Medrôa e o Alto de Vilelas, só que não seja para utilização do candidato local do CDS à assembleia municipal, um tal Fernando da Estalagem e por sinal o único madeireiro segundo o descrito em outro seu post algures no ano passado, que assim mais fácilmente chegaria a Constância, onde reside!

E porquê não reivindicar o asfalto do caminho da Serra da Lomba em direcção á tal Casinha, saindo na Amoreira??? Não seria um trajecto bastante mais breve?

Se a freguesia de Aldeia do Mato refuta responsabilidades de manutenção do troço dos 2,3Km da estrada municipal, mais reforçará as negas da câmara de Abrantes, tornando remotas as possibilidades de sacar o lugar da Medrôa do isolamento em relação a Oeste! Aqui põe-se a questão de quem surgiu primeiro....
O ovo ou a galinha?
Agora, ao exercer o seu direito de resposta, caro João baptista Pico, veja se o consegue fazer com um mínimo de dignidade na expressão verbal...
Não lhe será fácil!...
Compreende-se... já não há agúdias!

Venha daí um dilúvio!
4 de Junho de 2010 23:54

11 comentários:

Tramagalense disse...

Boas Cidadão

Pois é, quando vamos à praça, não essa do Tramagal, mas talvez a da Ribeira em Lisboa ou o Bolhão do Porto, é um regalo ouvir as peixeiras a anunciarem o carapau e o pargo. Às vezes as comadres zangam-se, mas depois lá para o fim do negócio, todas são amigas e partilham um chazinho quente nas manhãs de Inverno.
Aqui para estes lados as PEIXEIRAS preferem o insulto gratuíto, vulgar e de baixo nível intelectual, provando que nada trazem de novo ao debate. Os comentários destas PEIXEIRAS, são simplesmente deploráveis, salvo algumas e honrrosas excessões. Mas esta é sina do português, em especial dos inuteis, dizer mal, criticar quem faz e o que se faz, mas atenção, nada de colaborar que é para não serem também eles vulneraveis à fatidica crítica. Enfim.

Quanto à liberdade de usar pseudónimo, o constante ataque que se faz ao direito à liberdade intelectual individual é simplesmente uma estupidez. Faz lembrar o voto de braço no ar de alguns partidos e até algumas instituições públicas. Assim sabe-se o que pensa quem.

Para além da estúpida crítica, feita sob o anonimato, para enxovalhar quem faz e o que se fez, sou eu próprio um crítico da obssesão de saber, quem é quem e reconheço o direito ao anonimato, ainda mais num meio de comunicação como a internet. Este meio, talvez alguns dos intervenientes nos comentários não o saibam, vai-se tornando no único meio onde ainda é possivel manter algum anonimato, até quando não sei, porque os ataques das instituições governamentais e as que controlam todo o sistema em que vivemos, são constantes.

Por agora é tudo Cidadão e finalizo dizendo, que é uma honra poder comentar no seu blog, não sabendo quem o Sr. é e nem me importando com esse facto.

saudações tramagalenses

O Cidadão abt disse...

Oh! Tramagalense!

Nem calcula a satisfação que nos dá, a possibilidade de podermos interactivar com o cinzentismo!

A peixeirada!

Atenção que se restringem a um ou dois, porque o grosso dos comentadores não merece tal epíteto!

Ás vezes há o receio em atingir esses outros comentadores de respeitável idade, segundo transparece, que não têm o direito de levarem pela mesma tabela.

Por outras vezes temos que escrever passagens que poderão ser exploradas no sentido de afectarem terceiros mas está visto que o Q. I. das peixeiras não partilha dessa ginástica cerebral.

Na Web encontramos um terreno bastante rico nessa matéria-prima!

Por outro prisma, não tenha a menor dúvida que este praça contribuiu a 90% para a projecção do camarada “LAGAMART” na cena regional, um pouco no plano nacional e em alguns pontos, no internacional!

Depois tumba!

O “senhor administrador” vai de apagar as opiniões formuladas, os raciocínios e os comentários cá do pessoal que contribuiu para a sua projecção!

Um ponto é assente.

Um blogue quer-se polémico, caso contrário perde interesse e consequentemente, “audiência”.

É preciso saber explorar essa vertente sem deixar descambar para o medíocricismo.

O acto de apagar dezenas de comentários é uma desconsideração para todos!

E vai também de apagar os link’s dos blogues como se também eles possuíssem algum escorbuto ou peste negra, como se a presença deles, incomodasse o sistema!

Mas se incomodam, é porque lhes não são indiferentes, ou seja, são mesmo, diferentes!

Se mexem, se agitam, se provocam, isso é sem dúvida, produtivo!

São as emoções á flor da pele e a falta de calculismo e de cabeça fria.

Este praça é amigo de toda a gente, apesar dos arrufos, das esgadabunhices, das lutas, das discussões, dos arrufos e das pseudo-ofensas que acabam por se tornar caricatas!

“é uma honra poder comentar no seu blog, não sabendo quem o Sr. é”

Transcreve-se um excerto da sua prosa.

Chegue pr’á lá essa boca, carais!

Ao tratar assim cá o Cidadão, além de o deixar ficar bué constrangido porque é “anti-essas-tretas”, está a arrumar-lhe com mais uma montanha de anos em cima!!!

Quanto a identidades, só se forem úteis para os “trogloditas” as utilizarem como meio de chantagem inibitória, até porque a utilidade dos Blogues é de expor e trocar opiniões, correntes de ideias, etc.

De início, Cidadão abt era individual com o auxílio de sete amigos distribuídos pela técnica e pelos exteriores, mas com o correr dos tempos já se tornou numa vasta equipe coesa e anónima que, recorrendo ás redes sociais e ao e-mail, se comunica entre si, numa partilha de informações praticamente in-loco, dando a sensação a certas “baratas tontas”, que está em toda a parte, apesar de cá o “ideiota,” o operacional, o ponta de lança, se manter o mesmo!

RL disse...

Este cidadão RL, publicou entretanto, perante leitura de post em universo que julga enquadrado no comentário deste outro caro Tramagalense , pequeno texto em que tentando dar uns ares de sapiencia, "amanda" com uma lingua morta... pimba:
-'IPSIS VERBIS'.
Também para vós, em particular para si, Cidadão,cá vai mais um desconchavado bitáite.
RL

O Cidadão abt disse...

YÁ!

Um 'IPSIS VERBIS' para o post!

É exactequalmente isso, caro RL!

Obrigado pela espreitadela dada cá à xafarica.

Joaquim disse...

Você é dos tesos, caro cidadão!

Parabéns!

José Baptista disse...

Onde andarão os restantes comentadores?

O Cidadão abt disse...

Ó Joaquim!

“Você é dos tesos” é observação que se faça?

Por um lado não convém ser-se, versus estar-se, muito teso!

Nos dias que correm de crise internacional o pessoal não anda muito endinheirado, pois não...

Por outro prisma, estar-se “teso” é muito mau sinal... convêm haver flexibilidade muscular...

Numa derradeira perspectiva... não são coisas de sua conta, tá?

Não se entende para qual das vertentes dirige as felicitações...

O Cidadão abt disse...

Olá, Zéná!


Assim é que deve estar bem escrito!

Seja bem-vindo a esta caixa marada de pirolitos!

Você também,.. gosta de colocar questões difíceis!

Os outros comentadores não devem estar a hibernar uma vez que estamos na época estival do Verão!

Ou foram para a praia ou andam a fazer os exames nacionais ou andam a ganhar coragem para se lançarem nos comentários... mas ainda há uma hipótese!...

Houve quem alvitrasse que eram todos o mesmo!

Também se poderá mais uma vez concluir que a seguir á tempestade, vem a bonança!

Oh! Não!

Estarão a reflectir... a criar argumento... e um por outro a executar download's de um vocabulário renovado e bem mais refrescado porque há menores a ler isto!

Cá o Cidadão abt aguarda com bué da expectativas!

O Cidadão abt disse...

Olá, mais uma vez, caro Tramagalense!

Escreveu o senhor "administrador" no seu blogue Lagamart que cá o Cidadão abt contribuiu em muito para o aumento da peixeirada, e está bem certo!

Esquece-se que a "praça" tinha uma só peixeira, e diversos, eram os fregueses!

O problema é que a "vendedeira" não tem grande jeito para o negócio e vai daí, à moda do mercado do Bulhôun, tocou de criar mau ambiente, impondo o peixe retardado à clientela, com as suas vernáculas!

Uns comem-no por fresco, outros... não!

É será bom, haver sempre alguém que resiste... haver sempre alguém que diz, não!

Tramagalense disse...

Boas Cidadão

Quando me referi a PEIXEIRADA, não me referi apenas aos comentários do blog Lagamart, mas também ao que se passou no Tramagal e Forum do Tramagal. A minha memória não é curta e lembro-me claramente dos insultos e argumentos bota abaixo, de toda e qualquer maneira, que neles se puderam ler.
Penso que um minimo de decênçia é exível.

A blogosfera, permite aos cidadãos comuns a livre expressão e isso era uma coisa que não existia antes da internet. Com esta ferramenta, é possivel dar largas à imaginação e contribuir positivamente para o meio soció-cultural em que vivemos. Na sequência disso, cada um é sapiente de sí próprio e faz o que quer.
Ao contrário de certos comentadores, eu não tenho qualquer pretensão em chamar a mim qualquer protagonismo, seja ele qual fôr. O que faço, é apenas porque gosto e porque o direito à opinião me assiste. Se não gostam, isso não me interessa. É uma opção que respeito.

Lembro-me perfeitamente do 1º comentário que fiz num blog, o do Tramagal. Em poucas horas um prestigiado comentador, desferiu um "ataque" para o qual não estava preparado e o qual tive alguma dificuldade em entender. Nem o Cidadão queira saber, mas imediamente ganhei um adversário. No entanto, não guardando qualquer recentimento, não estou minimamente interessado em responder a outros "ataques", camuflados na sapiência e intelectualidade, que esse comentador parece gostar de fazer.

Não tenho paciência para tal tipo de conversa. Sinceramente, depois de me ter envolvido em despiques, pensei para comigo, que era melhor dar a minha opinião no meu próprio espaço e deixar para trás as picardias. Prefiro o contributo construtivo. Nisto incluo também as críticas que faço a tudo aquilo que penso estar mal ou me pareça injusto.

suadações do Tramagalense.

O Cidadão abt disse...

Ôi, Tramagalense!

Não se rale com essas observações!

Peace and Love


Cá o Cidadão nem as interpretou como se fossem dirigidas á sua pessoa, ciber Tramagalense, mas deixe pr’á lá!

Deixe os piques e os despiques por conta e risco cá do Cidadão...

Na sua despedida, escreveu em cheio!

Hoje foi um dos dias em que, ás catorze horas foram atingidos os 38,7 graus de temperatura ambiente na região progredida!

Foi suar até ás estopinhas, razão mais do que suficiente para as suas:

“suadações do Tramagalense”

Cita-se.

Transpirações cá do Cidadão abt com votos de que o Tramagalense dê por aí com uma voluptuosa miss t’shirt molhada!