.

.

Este militante anti-cinzentista adverte que o blogue poderá conter textos ou imagens socialmente chocantes, pelo que a sua execução incomodará algumas mentalidades mais conservadoras ou sensíveis, não pretendendo pactuar com o padronizado, correndo o risco de se tornar de difícil assimilação e aceitação para alguns leitores! Se isso ocorrer, então estará a alcançar os seus objectivos, agitando consciências acomodadas, automatizadas, adormecidas... ou anestesiadas por fórmulas e conceitos preconcebidos. Embora parte dos seus artigos possam "condimenta-se" com alguma "gíria", não confundirá "liberdade com libertinagem de expressão" no principio de que "a nossa liberdade termina onde começa a dos outros".(K.Marx). Apresentará o conteúdo dos seus posts de modo satírico, irónico, sarcástico e por vezes corrosivo, ou profundo e reflexivo, pausadamente, daí o insistente uso de reticências, para que no termo das suas análises, os ciberleitores olhem o mundo de uma maneira um pouco diferente... e tendam a "deixá-lo um bocadinho melhor do que o encontraram" (B.Powell).Na coluna à esquerda, o ciberleitor encontrará uma lista de blogues a consultar, abrangendo distintas correntes político-partidárias ou sociais, o que não significará a conotação ou a "rotulagem" do Cidadão com alguma delas... mas somente o enriquecimento com a sua abertura e análise às diferenciadas ideias e opiniões, porquanto os mesmos abordam temas pertinentes, actuais e válidos para todos nós, dando especial atenção aos "nossos" blogues autóctones. Uma acutilância daqui, uma ironia dali e uma dica do além... Ligue o som e passe por bons e espirituosos momentos...

sábado, 20 de novembro de 2010

O PARÂMETRO NORMAL



«O PARÂMETRO NORMAL


O cidadão abrantino está preocupado, vive no medo, e faz de tudo para alertar as instituições competentes para actuarem.
Algumas já se mexem com bastante actividade, procurando soluções em todas as direcções o melhor exemplo é o Município através da nossa Presidente de Câmara.
Cidadão de carácter e valentia como o conhecido mestre Fernando Correia, que se movimentou às claras com o intuito de abanar consciências e por termo nesta loucura de violência que se alastra pela nossa cidade como uma doença sem cura.
Penso que o próprio Dr. Jorge Lacão, deveria intervir mais energicamente na Assembleia da República e no Governo pedindo uma actuação mais activa e séria no problema....é necessário vontade politica para combater esta "doença".
Um concelho com cerca de 40.000 habitantes, sem cinema, sem discoteca e com "meia" dúzia de bares, tudo porque não se põe cobro a esta onda de violência?
E pior ainda, é negada pela própria PSP! Eles têm medo?
Não digo que comprem um cão, mas no mínimo, escolham outra profissão!

No Semanário “A Barca” do passado dia 28 de Outubro, podemos ler vários artigos sobre segurança, mas o mais incrível é a declaração da PSP de Santarém.
O Comando da PSP de Santarém destaca em comunicado, apenas 2 situações de crime e mesmo assim, uma delas é só uma SUSPEITA (a qual até foi discutida em reunião da Câmara Municipal).

Podemos então concluir que:

- Assaltos diários a jovens para lhes roubarem dinheiro e telemóveis…são parâmetros normais.

-Agressões a pessoas em pleno dia à porta de casa…são parâmetros normais.

-Roubo de rodas a viaturas estacionadas na via pública…são parâmetros normais.

- Assaltos a viaturas estacionadas nas garagens dos prédios…são parâmetros normais.

-Assaltos a residências (alguns com as pessoas dentro de casa)...são parâmetros normais.

-Desordens e agressões no Parque de São Lourenço…são parâmetros normais.

-Assaltos e agressões a pessoas quando estão numa caixa de multibanco…são  parâmetros normais.

-Assaltos a farmácias…são parâmetros normais.

-Espancamentos a um dono de um estabelecimento comercial... são de um parâmetro normal.

-Agressão violenta a um agente da autoridade, dentro da própria esquadra da polícia, é um parâmetro normal.

-Agressão a outro agente da autoridade, obrigado a internamento hospitalar em estado grave, quando tomava conta de uma ocorrência de trânsito... é um parâmetro normal.

-Agressão violentíssima a uma equipa do INEM que socorria um familiar do próprio agressor... é um parâmetro normal.

-Assalto à cara descoberta e agressão a um cidadão perto do cemitério de Santa Catarina, que pôs o mesmo em risco de perder uma vista, com internamento hospitalar... é um parâmetro normal.

-Esfaqueamento mortal numa bomba de gasolina... é um parâmetro normal.

- Ameaças e tentativas de extorsão a um proprietário de um estabelecimento nocturno, novamente à cara descoberta... é um parâmetro normal.

-Agressão violenta a um militar (tenente-coronel) na discoteca Água Benta, que levou o mesmo a internamento hospitalar com a vida em risco... é um parâmetro normal.

-Inúmeras situações conhecidas de Bullying nas nossas escolas... são parâmetros normais.

-Seguranças privados de vários estabelecimentos a serem agredidos com internamento hospitalar... são parâmetros normais.

-Assaltos no centro da cidade a estabelecimentos comerciais, o Chave d' ouro foi o ultimo... são de um parâmetro normal.

Quanto ao patrulhamento apeado, está tão intensificado que, de cada vez que vamos à rua……até tropeçamos em polícias!!!
(Serão os parâmetros normais????)

Sr. Comandante da PSP de Abrantes, se para si vivemos numa cidade segura e sem violência, achamos que o seu emprego está em risco, porque o senhor não tem capacidade para ver o que se está a passar nesta cidade que se propõe segurar...

Ou também será um parâmetro normal?

Assuma a sua responsabilidade e mova os seus superiores a actuarem, não meta a cabeça na areia como a velha avestruz.

Tudo isto são parâmetros normais desde que aconteça aos outros.

…Talvez deixem de ser parâmetros normais quando acontecerem ao Sr. comandante, seus familiares e amigos, ou pior ainda, quando cair nos seus braços um caso grave de justiça pela mão do povo desta cidade de Abrantes que começa a estar farto de incompetências e de viver sob a sombra do medo...

Depois, esperamos que afirme:

-“Tuod aconteceu dentro dos parâmetros normais”.

Portanto abrantinos, não vos alarmeis!

Como dizem os nossos vizinhos espanhóis…

-NO PASA NADA.»
 Transcrição adaptada de correio electrónico em circulação

10 comentários:

Tramagalense disse...

Boas Cidadão

Não se passa nada, claro....
e o busto lá desapareceu, sabe-se lá como, talvez .... deixa ver .... naaa nou vou mandar palpites que me podem sair furados.
Talvez o Carrilho da Graça tenha uma solução e se não tiver pode tentar encontrar uma em conjunto com o seu mais directo assitente na grande "repavimentação" de Abrantes, o Augusto Mateus.

Um muito obrigado pela sua fiel "bisblhiotice" Cidadão.

saudações cá do Tramagalense

D´Atalaia disse...

Olá caro Cidadão
Talvez e uma vez que o busto já se encontráva neste pedestal à muitos anos resolveu ir fazer um passeio higiénico. Seria?... Então foi dentro dos parâmetros normais.

cumprimentos

D´Atalaia

O Cidadão abt disse...

Olá Tramagalense!

Money For Nothing


Como se pode passar alguma coisa, se o busto não esta lá?!

A esta hora o arquitecto Carrilho da Graça já deve ter engendrado um busto cúbico ao género dos da animação de “Money For Nothing” dos Dire Straits para substituir o que la estava!!

Para recordar, cá vai o link:

http://www.myvideo.de/watch/6610515/Dire_Straits_Money_for_nothing

Dos Dire Straits!...

Claro!

Às tantas qualquer dia aparece em algum “Museu Oriental”!

Esta mensagem que circula em circuito fechado de correio electrónico devia ser publicada em todos os blogues da região!

Devido aos imensos afazeres durante esta ”Cimeira da NATO” em que se constatou que afinal em Portugal a segurança pública depende dos segurados, só agora houve oportunidade de dar conta dos comentários!

Obrigado pela sua visita e mande sempre, bitáitadas!

O Cidadão abt disse...

Sempre D’Atalaia!

O fradinho Capucho a bitáitar do convento até esta chafarica, não será certamente!

Então, ciberamigo, depois de tantos anos assistindo impávido e sereno às descargas hormonais e à testosterona de tantas paixões assolapadas pelos recantos do jardim, algum dia aquele busto haveria de flipar!

Sabe-se lá se não foi concorrer para agente das forças policiais.

O Cidadão sabe de um local onde existe um busto que em determinada noite do ano se ausenta misteriosamente do seu pedestal para mais tarde regressar, completamente polido e brilhante!

Faz parte de um ritual lá do burgo!

Cá por Abrantes o busto foi-se embora p’ra não mais voltar!

Mas tudo nos parâmetros normais, claro!

Seja bem-vindo a este quão blogosférico sítio!

Aqui - Ali - Acolá disse...

Olá Cidadão abt boas:

Mas afinal por cá passa-se alguma coisa?

Isto não será tudo uma mera coicidência de arrufos entre vizinhos ou casos isolados sem importância?

Cum Catano, já não sei em que acreditar, pois a boca do Zé povinho é tão diversificada que até os cabelos se me põem em pé de não ter uma opinião concreta do que por cá se passa.

Vejo porém, que certas coisas desapareceram do seu lugar como que por obra de jericó.

Mafarrico dum catano que anda por aí à solta p'la noite dentro com uma invisibilidade tal que não dá para lhe ver sequer a sombra.

Bem, também poderá ser o vento que de tão forte avançar e de rajadas no escuro leve as coisas de arrasto para lugares jamais descobertos.

Quem diz que por cá não há segurança, por certo que não percorre o perímetro desta coisa para ver que de noite isto está seguro com o tropeçar de vez em quando num gato e, (o meu que o diga visto que até já por cá apareceu com uma pata no ar).

De tudo isto, existem coisas que não dá para entender.

Ou o parâmetro é normal e tudo são fantasias cá do povinho ou então o Zé é quem faz a ronda e vê que a noite é nossa e, vamos a isto de conquistar esta terra para que em vez de (Abre antes, se lhe dê o nome de Abram alas que vai tudo a eito).

Mas como o progresso da bisbilhotice anda por cá numa boa pergunta-se:

Se o Monstro vai surgir com um Pico muito alto, será caso para se dizer que a segurança não ficará bem entregue a ele futuramente?

Vamos esperar por isso que logo então o busto regressará à casa mãe todo contente cantando esta canção:

Vemos ouvimos e lemos
Não podemos ignorar.

Xau, olhos bem abertos, ouvidos bem afinados e moca atrás da porta que o mafarrico pode aparecer de repente.

Camões só com um olho via mais que todos os olhos da corte inteira.

O Cidadão abt disse...

Aqui – Ali – Acolá


Aiii...senhoreee... c’a vizinhança nã s’anda a dári?!!

Aiii... mas que mal’ánissuuu!!!

O Zé-povinho é um desbocado...

Ao busto foi um sentimento que lhe deu!
A insegurança é um sentimento!
Tudo não passa de sentimentos!
Logo, a população de Abrantes é muito sentimental!

Maria Marques disse...

Amigo cidadão abt:


Infelizmente,a insegurança alastra de norte a sul do país .Desde assaltos com e sem violência física a abordagens menos sérias que nos levam a viver num contínuo sobressalto.Hoje,mais do que nunca,somos obrigados a ter cuidados desdobrados ,seja na rua ou na própria casa.
É de referir casos de indivíduos que assumem a identidade de alguém muito chegado a familiares ou amigos nossos ,com o intuito de nos ludibriar ,oferecendo boleia para nos acompanhar a um multibanco próximo...
Fruto dos tempos conturbados ...há que dotar as forças policiais de melhores meios e de mais autoridade para agir.

Um abraço.
Maria Marques

O Cidadão abt disse...

Olá Maria Marques:

Ou andarem pelas aldeias fazendo-se passar por doutores da Segurança Social, convidando os idosos a trocarem as notas por outras mais recentes porque as que devem ter vão passar de validade...

Estava o pendura a tratar o condutor por doutor...
Observa o aldeão, sempre sentado na soleira da porta...
"-hummm... os tempos estão mudados... agora os doutores é que guiam os carros e os ajudantes vão ao lado..."

Diz o meliante:
"-Vou sair do carro para lhe poder mostrar melhor..."


Observa-lhe o aldeão:
"-É que nem vale a pena incomodar-se a sair... porque depois já não entra aí no carro..."

"Porquê?"

"-Ó amigo, olhe mas é aí para trás..."
Responde-lhe o aldeão.

Com um arranque a fundo, doutor e ajudante desapareceram no horizonte!


Ou com falinhas simpáticas tentarem entrar em casa dos aldeãos sob o pretexto de concretizarem o negócio de venda de cobertores ou de um relógio!

Ametista disse...

Pois tudo o que é referido, são realmente "parametros normais".
Discórdias entre vizinhos e por aí. Vocês é que estão a ver mal a coisa! Certo, certo é que eles andam aí e, toda a gente sabe quem são onde estão e, nunca mais nada é feito.
Então, estamos em Abrantes e tudo como dantes, já assim se dizia no tempo dos franceses.

O Cidadão abt disse...

Olá Ametista!

Eles "andem" mais nuns sítios do que nos outros...

Depende da hospitalidade e da permissividade!