.

.

Este militante anti-cinzentista adverte que o blogue poderá conter textos ou imagens socialmente chocantes, pelo que a sua execução incomodará algumas mentalidades mais conservadoras ou sensíveis, não pretendendo pactuar com o padronizado, correndo o risco de se tornar de difícil assimilação e aceitação para alguns leitores! Se isso ocorrer, então estará a alcançar os seus objectivos, agitando consciências acomodadas, automatizadas, adormecidas... ou anestesiadas por fórmulas e conceitos preconcebidos. Embora parte dos seus artigos possam "condimenta-se" com alguma "gíria", não confundirá "liberdade com libertinagem de expressão" no principio de que "a nossa liberdade termina onde começa a dos outros".(K.Marx). Apresentará o conteúdo dos seus posts de modo satírico, irónico, sarcástico e por vezes corrosivo, ou profundo e reflexivo, pausadamente, daí o insistente uso de reticências, para que no termo das suas análises, os ciberleitores olhem o mundo de uma maneira um pouco diferente... e tendam a "deixá-lo um bocadinho melhor do que o encontraram" (B.Powell).Na coluna à esquerda, o ciberleitor encontrará uma lista de blogues a consultar, abrangendo distintas correntes político-partidárias ou sociais, o que não significará a conotação ou a "rotulagem" do Cidadão com alguma delas... mas somente o enriquecimento com a sua abertura e análise às diferenciadas ideias e opiniões, porquanto os mesmos abordam temas pertinentes, actuais e válidos para todos nós, dando especial atenção aos "nossos" blogues autóctones. Uma acutilância daqui, uma ironia dali e uma dica do além... Ligue o som e passe por bons e espirituosos momentos...

domingo, 6 de fevereiro de 2011

O GNÓMON



O GNÓMON

Quando num destes dias soalheiros cá o Cidadão dava uma de pedestre e alargava as vistas no recém-criado parque de estacionamento do castelo de Tubucci, apanhou um susto do catano!
Ia a tarde meio vencida, quando ao consultar o relógio de sol plantado à entrada do parque, este desgraçado reparou que ali ainda era meio-dia e já houvera manducado há uma parga de tempo!
Para melhor o confirmar, recorreu ao seu Citizen que não atrasava nem adiantava e... nele acusavam as dezasseis horas bem auferidas!
Fora o carmo e a trindade!
Nem na Babilónia se viu uma coisa assim!
Deixando-se de tecnologias de ponta e recorrendo aos conhecimentos de orientação, deu-se conta que o dito cujo relógio espetado no pedestal tinha o gnómon orientado para Oeste!
Tiradas as coordenadas e feitos os azimutes o gnómon apontava aí para os 250º geográficos!
“-Réloj!” 
“-Réloj!”
“-Tú complár rélój?” 
"-Bárááta" 
"-Réloj baráta!"
Aquele relógio de sol era bem pior que os dos marroquinos!
O sacana estava quatro horas atrasado! 
Seria das pilhas?
Ná!
Vá lá, um desfasamento aparente de uma dúzia de minutos se importado de Greenwich ou de sessenta e alguns minutos... por mor da Convenção Europeia... ainda se admitiria...
A saber, a sombra do gnómon deveria incidir na zona onde foi executada a marcação com as cores nacionais, mas ao caso, nem pela equação do tempo bate certa a peta com a carrapeta!
Recorrendo à compreensão lenta, haveria razão plausível para que assim funcionasse até ao dia em que foi retirado do ponto inicial da muralha, outrora orientado a Sul...
... e por aqui inaugurado numa manhã sebastianista em que não se via um palmo à frente do nariz, quanto mais... o Sol pela peneira!

12 comentários:

Aqui - Ali - Acolá disse...

Oi Cidadão abt boas:

Com que então um Citizen hein!..

Cum catano, isso por aí não há crise né, Citizen não é para o bolso de qualquer um mas, V. Ex.ª é que sabe as voltas que a vida dá aos bafejados pela sorte de uma raridade dessas.

Mas agora pergunto eu:

V. Ex.ª ao visitar esta obra do acaso onde a pomposidade saloia num dia de nevoeiro a elevou a uma grandeza (de inglês ver) para remendo de salvação de um castelo em ruínas esperava ver o quê?

Aquilo até condiz com o que se passa cá pela Aldeola onde o atraso de vida é mais que evidente e, este Gnômon que ao amanhecer deverá ter sombra bem longa, ao meio-dia estará no tamanho mínimo e ao entardecer volta a alongar-se novamente, não se deixou ir pela coisa certa e vai daí pimba, ficou-se nas entranhas porque é o espelho da modernice saloia dos sábios burgueses cá do sítio.

A Tabela da Equação de Tempo relativa aos minutos e dias do ano só tem (+) minutos?

E os (-) minutos onde estão?

Acho que num tabela de equação do tempo existe uma escala de 0,00 até 16,00 minutos para menos e de 0,00 até 18,00 minutos para mais consoante os dias e meses do ano.

Se por acaso eu estiver enganado acerca disto corrija-me ok?

Enfim,é o que temos por cá e quem quiser ouvir bater as horas certas durante o dia que se ponha de plantão na torre do castelo que sai de lá à espera que saia!...
----------------------------------
Alto aí, caro Aqui-Ali-Acolá!

"Caponesa" era o elemento feminino de determinadas organizações italianas que nada tinha de gentil!
----------------------------------

Ena cum catano, já uma pessoa não se pode descuidar que logo lhe cai um martelada na tola.

Prontos, já está emendado e, V. Ex.ª quando assim for apite (e olha quem, que não lhe escapa nada).

Não falemos agora do elemento feminino de certa máfia italiana porque isso é pano para mangas.

Iô nom sê?

Bom início de semana pois parece que vem aí chuva de novo para regar as couves na horta que estão encolher com o frio.

O Cidadão abt disse...

Ciber Aqui-Ali-Acolá!

Poderia cá o Cidadão colocar no pulso outra máquina do tempo que não fosse um Citizen?

Como o dito cujo não atrasa nem adianta, a idéia seria jogá-lo no lixo... mas como o ciber afirma que o Citizen é um engenho valioso, é melhor deixá-lo estar sossegado!
Naqueles tempos não existiam números negativos...
A tabela da equação do tempo foi elaborada com números positivos compreendidos entre os equinócios da Primavera e do Outono!
Como terá reparado, na invernia o relógio de sol não tem utilidade porque, ou o Céu está carregado de nuvens, ou assenta por ali um nevoeiro que não nos deixa ver um palmo à frente dos narizes!
Mas bem... a equação da tabela está representada em graus.

Seria mais razoável e acessível ao comum do cidadão que a tabela estivesse equacionada em minutos onde surgiriam os tais positivos e negativos a equacionar à sombra do gnómon!


Ah!

La caponesa...


Ora ci dicono che Berlusconi non ha piu buon gusto?
La Letizia, la Ruby, la Nicole... la Roberta, e Francesca... Capoccias tutte belle!
Non è vero?

Maria Marques disse...

Olá caro cidadão abt !

É caso para dizer :Há cada uma!
Nestes tempos tão depressivos ,restam-nos estas verdadeiras anedotas!
Um abraço

Maria Marques

O Cidadão abt disse...

Olá Maria Marques!

Não está mal pensado...

Será que a posição fora do vulgar, do gnómon orientado a poente, é para nos combater as tendências depressivas que nos induzem os dias chuvosos e de nevoeiro?

Ou será para nos exorcizar das horas depressivas causadas por esta crise governativa que nos envolve?

Uma coisa é certa!
Se o gnómon não ficasse naquela posição... poucos reparariam nele!

Ai, ai, ai! Esse abraço foi dado com muita força e as cruzes assim não aguentam!

Para combater a depressão, visite esta xafarica!

Joaquim disse...

Por acaso tinha ali passado depois da inauguração sem reparar na senhora da asneira. Depois de lido este artigo e sem acreditar no que o caro cidadão aqui escreveu, não fosse uma qualquer brincadeira carregada da boa disposição e irreverência que o caracteriza, regressei exclusivamente ao local para me certificar do incrível. Olhando bem para a posição desse relógio de sol, transparece a ideia que o ponteiro deveria estar orientado na mesma direcção da tabela trigonométrica das equações, cravada na face do fuste virado mais ou menos para sul. Seria o assentador que não percebe patavina do assunto e colocou o relógio como melhor entendeu, seria que ficou assim em diagonal na prateleira do capitel por não caber em paralelo, ou seria ali colocado à pressa num dia chuvoso, por ordem de um senhor engenheiro que se preocupou com a estética, desconhecendo a funcionalidade daquilo?
Dar que pensar, lá isso dá!

alcolobre disse...

O rerlógio de sol ficou desorientado? Ao menos que se baseassem na posição anterior!Eh!Eh!Eh!Grandes arvéolas!

Maria Marques disse...

Concordo plenamente consigo,caro cidadão.
As suas crónicas ajudam a exorcizar a possível depressão de quem as lê !
Já agora aconselho muitos edis a passarem por aqui(não para melhorarem as suas depressões porque lhes vão passando ao lado mas para despertarem do seu torpor...

Maria Marques

O Cidadão abt disse...

Pois é, amigo Joaquim.

Há coisas que passam despercebidas ao comum dos mortais...

É curioso que os idosos que não acedem à Internet, estavam atentos ao pormenor.
E esta hein?

O Cidadão abt disse...

Cá temos o Alcolobre manifestando-se com as suas expansividades!

Bem "dezido"!

Volte sempre!

O Cidadão abt disse...

Ôi, Maria Marques!

As depressões reservam-se para as dificuldades diárias com que se vai debatendo o Zé-Povinho!

Ditador disse...

Pessoal não esqueçam que o relogio foi lá colocado pelas entidades administrativas deste país. Não sei qual a admiraçao do artefacto estar mal orientado. Dado que é regra geral.
Então e o resto? tà orientado?


(Parabens ao cidadão que começou os seus comentarios á garupa duma modesta famel de 3, mas agora um citizen!!? ora! ora!)

O Cidadão abt disse...

Ena, Ditador!

Ora cá está a explicação para a indiferença do povo abrantino!

Já se habituou às desorientações administrativas deste país que só lhe seria relevante se as coisas estivessem correctamente orientadas!

Qu'é lá isso?!

Não dá cá um sainete este praça cavalgando numa intrépida Famel Z-2 e ostentando um reluzente Citizen, ou quê?!