.

.

Este militante anti-cinzentista adverte que o blogue poderá conter textos ou imagens socialmente chocantes, pelo que a sua execução incomodará algumas mentalidades mais conservadoras ou sensíveis, não pretendendo pactuar com o padronizado, correndo o risco de se tornar de difícil assimilação e aceitação para alguns leitores! Se isso ocorrer, então estará a alcançar os seus objectivos, agitando consciências acomodadas, automatizadas, adormecidas... ou anestesiadas por fórmulas e conceitos preconcebidos. Embora parte dos seus artigos possam "condimenta-se" com alguma "gíria", não confundirá "liberdade com libertinagem de expressão" no principio de que "a nossa liberdade termina onde começa a dos outros".(K.Marx). Apresentará o conteúdo dos seus posts de modo satírico, irónico, sarcástico e por vezes corrosivo, ou profundo e reflexivo, pausadamente, daí o insistente uso de reticências, para que no termo das suas análises, os ciberleitores olhem o mundo de uma maneira um pouco diferente... e tendam a "deixá-lo um bocadinho melhor do que o encontraram" (B.Powell).Na coluna à esquerda, o ciberleitor encontrará uma lista de blogues a consultar, abrangendo distintas correntes político-partidárias ou sociais, o que não significará a conotação ou a "rotulagem" do Cidadão com alguma delas... mas somente o enriquecimento com a sua abertura e análise às diferenciadas ideias e opiniões, porquanto os mesmos abordam temas pertinentes, actuais e válidos para todos nós, dando especial atenção aos "nossos" blogues autóctones. Uma acutilância daqui, uma ironia dali e uma dica do além... Ligue o som e passe por bons e espirituosos momentos...

domingo, 13 de março de 2011

À RASCA ?!



À RASCA? !

A Geração À Rasca saiu à rua em onze cidades portuguesas, concentrando-se mais de duzentos mil almas na Av. da Liberdade culminando na Praça do Rossio alfacinha e mais de oitenta mil na tripeira Av. dos Aliados, número de manifestantes que não cabia na prevista Praça D. João I, concluindo-se que não será uma, mas três, as gerações à rasca! Desfilaram as gerações dos filhos, dos pais e dos avós!
A geração dos filhos pelas razões sobejamente conhecidas, a dos pais porque fazem um esforço para além do previsível em sustento dos filhotes, e a dos avós, pois na sua maioria já toparam que por este caminho as magras reformas do seu sustento acaba por servir os descendentes... claro que não nos referimos às parcas reformazinhas dos ex-ministros e ex-administradores públicos e semi-privados, porque as desses coitadinhos não lhes chegam para sustentar palácios!
Este protesto de milhares revelou que os portugueses estão fartos dos demagogos que proliferam nos partidos políticos que em abono da verdade se inserem nos desígnios do povo para se servirem e não para o servirem. Foi vê-los durante o protesto, dissimulados no meio da população que saíu à rua!
 De tão desacreditados, cada vez mais as siglas politicas e seus mentores vão caindo em desuso e colocados na obscura e bolorenta prateleira das más memórias, por um povo cada dia mais desiludido e consequentemente, apartidário.
Com diferentes ideais, credos e conceitos, as gentes portuguesas agruparam-se entre amigos e famílias, correspondendo ao apelo dos jovens, reunindo-se civilizadamente nas onze cidades e reclamando causas transversais, em busca de melhores condições de vida, pese o facto do SIS e as polícias, em colaboração com a organização terem contribuído preponderantemente na prevenção de potenciais focos de conflito. Nota positiva para o civismo de todos os envolvidos, manifestantes incluídos!
Numa primeira mensagem, estimemos que os nossos governantes tenham tomado consciência do sentido deste protesto que poderá ser o primeiro de outros, e também eles, os governantes, se antecipem a uma possível escalada da convulsão social que em desespero de causa, poderá ultrapassar os limites do razoável por ora conseguido neste mega-manifesto de descontentamento...
Uma mobilização espontânea e massiva que foi um sério aviso para a governação deste jardim à beira mar plantado.
É em ambiente atormentado e deveras  À RASCA que os contribuintes abrantinos contam com o projeto da soberba de um Museu Ibérico encastrado no Convento de São Domingos onde se adiantaram uns módicos 1.150.192,00€uros... só no papel...

10 comentários:

Joaquim disse...

Quantos eram os festivais de verão? Vilar de Mouros e que mais? Hoje, quantos são? Se os há aos magotes é porque sobra freguesia para eles. Chegado o verão, esta geração à rasca não os dispensa! E os pais partem endividados para férias paradisíacas! Endividados, mas vão! Não queira esta juventude alcançar condições ideais de vida à saída das universidades! Qualquer um tem que as ir procurando progressivamente! Estamos sendo vítimas do consumismo desenfreado que se deu início com o acesso ao crédito fácil. Hoje levamos com o efeito dominó, resultando na quebra do poder de compra. Valorizamos o supérfluo em detrimento dos bens essenciais. E quem ganha com isto são os usurários e os especuladores dos bancos, das petrolíferas e das mega-empresas, com o conluio amiguista dos governantes e das entidades reguladoras! Aqui sim, que parvos que somos! Aderi ao protesto porque me insurjo contra esta corja de bananas que não lhes interessa porem termo a um sistema institucionalizado de exploração do nosso povo depois de lhe terem ajeitado o isco armadilhado! Quanto tempo mais para acabarem com as entidades reguladoras que nada regulam? Quanto tempo mais para porem limites na escalada inflacionária dos bens essenciais? No petróleo por exemplo, cerca de 45% do preço do litro do combustível são impostos que revertem para os cofres do Estado! A ver se este Estado, perante os conflitos internacionais se demite de os cobrar para aliviar o esforço fiscal suportado por todos nós? Reparem que parte desta tropa chupista foi executiva de governos anteriores! Ministros, secretários de estado e seus jobs, estão todos abotoados uns aos outros nesta cruzada de encherem os bolsos! E o povo, pá? O povo que se lixe!

Maria Marques disse...

Finalmente,caro cidadão!
Os jovens começam a desinstalar-se e a ter uma atitude mais participativa na senda política.Finalmente uma manifestação que juntou várias gerações!Já lá vão largos anos em que os estudantes de Coimbra deram um abanão na ditadura que caiu em 25 de Abril de 74.Desde aí ,a esperança de uma vida melhor,de liberdade ,o fim da guerra colonial,deu -nos novo alento.Entretanto,surge o endividamento das famílias agravado pelo desemprego (há casos de famílias inteiras no desemprego).Os pais fazem esforços brutais para dotar os filhos de uma boa formação académica ...e estes ,frustrados,não têm alternativa senão adiar as suas vidas com o futuro hipotecado.
A baixa natalidade e o envelhecimento da população entram em ciclo vicioso.Passámos a ser o "escravos "das potências europeias.
É tempo de dizer basta e que as competências dos nossos jovens deixem de ser desperdiçadas.É tempo de confiar numa nova geração de jovens políticos porque a actual contextura está desgastada.
Acredito nos jovens de hoje ,na geração à rasca .

Para eles ,os meus parabéns.

Maria Marques

Tramagalense disse...

Boas

É assim mesmo Cidadão as verdades são para serem ditas. O povo está farto de andar a pagar os luxos dos políticos e o povo tem todo o direito em demonstrar a sua revolta.

Em Abrantes o executivo municipal vive num mundo de fantasia e não só adiantam verbas avultadas, em época de crise, como aprovam a redução das compenssações devidas a todos os muncípes a uma multinacional.
Decisões destas seriam duvidosas
em épocas de vacas gordas, mas em épocas de crise profunda, a roçar a depressão económica, estas atitudes são para rir de desespero.
Que políticos RASCAS tem o nosso país.

VENHA O FMI.

O Cidadão abt disse...

Ciber's Joaquim, Maria Marques e Tramagalense!

Decerto repararam que Aníbal Cavaco Silva tomou posse do segundo mandato como Presidente da República numa Quarta-Feira de Cinzas, seguida às fantasias do Carnaval???

Com que mais cinzentismo nos poderiam presentear... querem lá saber?

Muito obrigado pelos vossos comentários que confirmam em toda a linha os tormentos deste povo que apesar de diferentes ideais, a força das circunstâncias o une em torno de uma causa comum!!

Por ora cá o Cidadão tem que vos deixar e ir descansar bué, porque anda com as molas um pouco arreadas.

Ciau, pessoal!

Aqui - Ali - Acolá disse...

Olá Caro cidadão abt boas:

Primeiro, respondo a esta sua pergunta:
---------------------
Qual a relação entre o parapentista e o Museu Ibérico?

Será este, o misterioso "Falcão Voador"?
---------------------

A relação é feita no sentido em que este monstro a ser construído e neste local, é a de ser um bom ponto de lançamento para parapentistas levantarem vôo do cimo deste monstro (tal como aquele à beira tejo) e nele aterrar, pois tal como diz o post:
------------------------
Onde é que este vai aterrar?
Só pode ser aqui na nova rampa de lançamentos e aterragens, que está na forja para
ser construída num local histórico desta Cidade onde do Céu caiem estrelas.
---------------------------
Para isto será talvez útil tal coisa visto que, para aquilo a que os profectas da desgraça anunciam, isso é tudo treta e dinheiro posto ao sol (saído dos nossos bolsos) como outras fachadas que já foram feitas e que nada de positivo trouxeram a esta terra.

Quanto ao misterioso Falcão Voador,
a que se refere e que à uma década
atrás percorreu os céus deste concelho, também nessa altura tive a oportunidade de ver isso assim como esse tal Balonista onde do local junto aos Mourões (Rossio ao Sul do Tejo) tive ocasião de ver levantamentos que ele fazia e voando pelos céus desta terra ele girava logo pela manhã.

Isto é o que defacto eu recordo desse tempo e que agora lá aparece um de vez em quando voando pelos céus desta terra como que parecendo estar perdido por estes céus, ou então que o vento os faz vir para aqui de rajada perdida no tempo.
-----------------------------
À RASCA:

Bem, isto é um caso que tem pano para mangas e que está ao geito de quem quer ser (ou já é) um Ditador Mór deste país onde o crónico que já é o mesmo de sempre a gramar com tudo o que ele(s) quer(em).

O MEXILHÃO, É ESSE QUE ESTÁ SEMPRE
A SER ENGOLIDO POR TUBARÕES DA PIOR ESPÉCIE AO CIMO DESTA TERRA CHAMADA PORTUGAL.

Muito mais poderia aqui acrescentar a isto mas só não vê que é igual a eles.

Xau e vamos lá a espertar as molas para que as teclas não descansem e pasmem de fastio.

.| ---| .--. --- ...- ---| .--. .-?

O Cidadão abt disse...

Aqui-Ali-Acolá:


Na falta da pista de aterragem de helis no Castelo onde se encontra agora a praça D. Francisco de Almeida, e uma vez que o poste com a manga improvisada de detecção dos ventos a meio do circuito de manutenção junto ao local de lançamento dos parapentistas, que tal marcar um H ou um X no suposto terraço do elefante branco?

Também é preciso ter muita pontaria, um Ícaro lançar-se do cubo mágico e ir aterrar em cima duma das portas e passagens das Barreiras do Tejo!

Nuca mais as cegonhas por lá fariam o ninho!

Isto está tudo muito orientado para o Céu!

Esta autarquia tem tanto dinheiro que até aliviou os encargos da central termoeléctrica do Pego!
Paga cá mais o Cidadão de Imposto Municipal sobre Imóveis pela escassa área da habitação familiar do que a central paga pela vasta área que ocupa!

Mexilhão?
Afirmaria antes que, quando o mar bate na rocha, quem se lixa é o mexilhão!

De fastio é que as teclas cá do computas não esmorecem!

Se bem reparar, as postagens e o respectivo feedback aos comentadores são feitos a horas tardias, pela noite dentro, ou bastante cedo se as descontarmos a partir do dia seguinte!

Evidentemente que durante o dia solar que se inicia entes deste se mostrar e termina bem após deste se esconder, há bué de trabalhos a realizar.

O fim de semana transacto foi dedicado às causas públicas e como o Aqui-Ali-Acolá deverá calcular, a modos que as cruzes cá deste praça se ressentem, as molas pasmam-se e s pálpebras descem, sendo necessária a ingestão de umas valentes doses de infusão de Pau D’Arco, pois o de Cabinda por enquanto é dispensado e bastante magnésio para aguentar o speed!
É que um homem não é de ferro, catano! Se o fosse teria que ser galvanizado ou talvez... cromado... para não oxidar!

Ah pois, e cafés duplos, também!

Quanto ao povo, pá, o ponto de interrogação em código Morse apita-se assim:
..--..

Boas noites e até uma próxima troca de bitáites!

O Rato que RUGE disse...

Não basta pensar à que agir..

http://peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=P2011N7864

O Rato que RUGE disse...

Não basta pensar à que agir, por nós e pelos que hão de vir.

http://peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=P2011N7864

O Rato que RUGE disse...

Não basta pensar à que agir, por nós e pelos que hão de vir.

http://peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=P2011N7864

O Cidadão abt disse...

?????
Livra!!!
Que susto d'um catano!!


"La vache qui rit" era do conhecimento deste praça, mas O Rato que RUGE?!

Está bem, prontos!

Fique sabendo que cá o Cidadão já linkou e assinou a petição, tendo-lhe sido atribuído o nº 57!

Atenção que numa destas noites, nessa A23 cá o praça atropelou uma doninha!
Aquilo foi tão de repente que não houve tempo de esquivar!

Cuidado com o Racumin, o Ratax, e os nacos de queijo nas ratoeiras!

Ah! Atenção à gata Cristie que está ao cimo, na coluna da esquerda cá da xafarica... sempre à coca... atenta... entende?...

Noutros tempos vagueou por cá um Rato Mickey mas, segundo reza a lenda, a gata Cristie deu-lhe caça!

Obrigado pela visita e mande sempre bué da bitáitadas!