.

.

Este militante anti-cinzentista adverte que o blogue poderá conter textos ou imagens socialmente chocantes, pelo que a sua execução incomodará algumas mentalidades mais conservadoras ou sensíveis, não pretendendo pactuar com o padronizado, correndo o risco de se tornar de difícil assimilação e aceitação para alguns leitores! Se isso ocorrer, então estará a alcançar os seus objectivos, agitando consciências acomodadas, automatizadas, adormecidas... ou anestesiadas por fórmulas e conceitos preconcebidos. Embora parte dos seus artigos possam "condimenta-se" com alguma "gíria", não confundirá "liberdade com libertinagem de expressão" no principio de que "a nossa liberdade termina onde começa a dos outros".(K.Marx). Apresentará o conteúdo dos seus posts de modo satírico, irónico, sarcástico e por vezes corrosivo, ou profundo e reflexivo, pausadamente, daí o insistente uso de reticências, para que no termo das suas análises, os ciberleitores olhem o mundo de uma maneira um pouco diferente... e tendam a "deixá-lo um bocadinho melhor do que o encontraram" (B.Powell).Na coluna à esquerda, o ciberleitor encontrará uma lista de blogues a consultar, abrangendo distintas correntes político-partidárias ou sociais, o que não significará a conotação ou a "rotulagem" do Cidadão com alguma delas... mas somente o enriquecimento com a sua abertura e análise às diferenciadas ideias e opiniões, porquanto os mesmos abordam temas pertinentes, actuais e válidos para todos nós, dando especial atenção aos "nossos" blogues autóctones. Uma acutilância daqui, uma ironia dali e uma dica do além... Ligue o som e passe por bons e espirituosos momentos...

domingo, 6 de março de 2011

A LUTA É ALEGRIA



A LUTA É ALEGRIA

Os mais atentos deverão ter reparado que entre doze canções concorrentes, o grupo “Homens da Luta” com o tema  “A Luta é Alegria”  foi vencedor do concurso Festival RTP da Canção 2011.
Certamente que outras canções se nos depararam melhor elaboradas, mais bem musicadas, com melhor qualidade artística, melhor coreografia e presença em palco, consequentemente com potencialidades para alcançarem um confortável posicionamento na tabela do Festival Europeu da Canção!
E porquê terem sido estes revivalistas do pós 25 de Abril, os vencedores do Festival RTP da Canção de 2011?
Se analisarmos o historial e a taxa de sucesso das canções representantes de Portugal nos meandros europeus, por melhor que tivessem sido, todos os anos se posicionaram na mesma zona da tabela festivaleira, levando-nos a concluir que, quando toca a júris europeus, outros valores mais altos se levantam e que à priori, Portugal nunca vencerá um festival europeu dentro de tais parâmetros. Assim sendo, é natural que o Festival RTP da Canção seja mais um meio do que um fim, transformando-se num veículo ideal para que a parcela do povo português participativo e votante nestas cenas dos "song´s" pudesse manifestar o seu desagrado perante a situação sócio-económica em que se encontra mergulhado este jardim à beira-mar plantado!
E... os tais telespectadores praticantes do radikal mappellyng aproveitaram a oportunidade para que os seus "sessenta cêntimos mais IVA" depositados na canção vencedora se traduzissem em úteis votos de protesto!
Entende-se que a eleição do tema “A Luta é Alegria” como concorrente ao Festival Eurovisão da Canção não passará de pura e dura moção de censura desse público perante os seus governantes.

14 comentários:

Aqui - Ali - Acolá disse...

Caro Cidadão abt, bom dia:

Os novos partem e por cá, só restam os idosos e os resignados!

--------------------------------
Apesar de, em parte isto ser uma realidade, (digo em parte), há que manter aquela frase (antes partir que vergar).

A LUTA É ALEGRIA

Ora aqui está uma prova de que o povo não está morto, pode-se constatar que o que nos vai na alma nunca morrerá e que, cedo ou tarde a realidade dos explorados e oprimidos virá ao de cima como azeite sobre a água.

Existem coisas na vida que não sendo tão vistosas e cheias de pompas e circunstâncias tem mais valor que aquelas nos encandeiam os olhos.

A resignação só é válida para uma certa camada que ao mando de outra camada exploradora se mantém na alcofa porque a conveniência a isso os leva decidir assim.

Os idosos, tem uma mente que nunca morre porque as raízes que eles plantaram nesta terra chamada Portugal não morrem visto que o tempo tudo renova e é aí que a bandeira da esperança está sempre viva no coração daqueles que a defraudam num vento de liberdade.

Vão-se vendo sinais de um povo explorado, e deles tirado os direitos de seu trabalho de uma vida de anos num esforço sem fim mas, enquanto o sangue correr nas veias desse povo explorado, não haverá quem possa vergar a coluna vertebral dessa gente que tanto sofre para que outros se banhem no jacuzzi do prazer.

Este seu post é (como practicamente todos) o exemplo vivo destas minhas palavras e, muito oportuno para as massas positivas e negativas que vagueiam por estas paragens e que o lêem, pois são muitos que o fazem mas, se muitos não os comentam, é porque estar debaixo da capa de um albergue manipulador sentem o conforto das costas quentes à custa de serem manipulados.

O Carnaval está aí e, com ele, muitos mascarados com a cara destapada e sorriso nos lábios, sabem bem que:

A LUTA É ALEGRIA.

Bom início de semana e força na tecla sempre que a mente não esmureça e a vontade seja a loucura dos verdadeiros intelectuais.

Dos outros, não reza a história porque deles nada se aproveita.

Joaquim disse...

Boas, caro Cidadão, permita-me um reparo.
A população que assiste a este evento é aquela que às horas em que é transmitido na TV se encontra recostada frente ao televisor. E que população é esta? É a franja de população que ronda a casa dos cinquenta e sessenta anos, a tal que à época do 25 de Abril de 74 vivia os movimentos de cidadania MFA-POVO e afins. Como o presume e bem, esta franja de população não perdeu a oportunidade de se manifestar através da eleição desta canção revivalista e de intervenção. Quanto à geração da casinha dos pais, está-se nas tintas para estes eventos, entretendo-se com as andanças noctívagas, gadjet’s e brinquedos tecnológicos de última geração, caso contrário uma das outras canções mais joviais seria a vencedora que ofereceria mais garantias de sucesso em termos de Eurovisão! Oxalá me engane neste meu raciocínio e que Portugal saia como vencedor! O inconveniente seria a disponibilização de mais uma parga de milhões de euros de impostos dos portugueses dispendidos na realização do festival Eurovisão de 2012, á semelhança das cimeiras e dos estádios do euro 2004, que alguns estão para demolir.

O Cidadão abt disse...

Há-de reparar caro Aqui-Ali-Acolá,

que as localidades cujas populações se apresentam mais resignadas e conformadas são precisamente as que dão mostras de maior descuido por parte da autarquia!

Uma parcela da nossa sociedade consumista é a que cultiva o preconceito, revestida de pompa e circunstância, em que as pequenas coisas lhe são insignificantes porque as grandiloquências a todo o preço são essenciais na sua afirmação, afogando-se em créditos bancários sobrepostos. Esses em que os olhos são maiores do que as barrigas muito contribuem para a queda do poder de compra e da travagem do comércio e da prestação de serviços das pequenas e médias empresas e de quem delas depende o seu sustento que são a fonte de sustentabilidade económica do monstro papa-euros mal gastos, como é o ESTADO português!

Repare que, com o distanciar das autárquicas, são poucos os blogger’s intervencionistas que se mantêm no activo!

a cantiga é uma arma, de pontaria

Artur :) disse...

Meus amigos!
Atribuamos a situação do país à publicidade enganosa e ao do crédito fácil promovidos pelas instituições bancárias durante os últimos anos e à nulidade de uma Autoridade da Concorrência que permitiu tudo isto e nada tem feito para travar a especulação desenfreada das grandes empresas como o caso mais visível das petrolíferas! Impera a lei dos amigalhaços dos grandes tachos!
Dos impostos, safam-se sempre as grandes empresas, através dos mecenatos, troca de designação comercial e de outras artimanhas moldadas aos interesses dos magnatas grudados ao governo!
Não se iludam, meus caros, safam-se sempre os mesmos e lixam-se sepre os mesmos.

O Cidadão abt disse...

Mister Joaquim:

Esse raciocínio de facto, está correcto!

Recorda-se este praça que quando do EURO 2004, os sábios afirmavam que a movimentação económica causada pelos adeptos iria permitir que o país saísse da asfixia económica em que se ia fazendo sentir... na realidade ficaram uma data de estádios às moscas, construídos especificamente para o evento e que agora se projecta a demolição de alguns deles!
Se Portugal saísse vencedor, lá se iam mais uns milhões dos nossos impostos, direitinhos para esse evento!
Assim sendo, até nisso foi bom terem ganho "Os Homens da Luta"...

LOL! ;) :)

Tramagalense disse...

Boas Cidadão...

Eu até acho que esta canção não é má e com o seu tom irónico é bem melhor que alguma da "pimbalhada" que nos representou noutras edições.

Quanto à luta destes e doutros homens, é o reflexo do estado a que chegou o desânimo na sociedade portuguesa. O povo votou e votou bem, para desagrado dos amigos e familiares dos restantes concorrentes e dos organizadores do evento, que claro, pertencem aquele grupo de pessoas que fazem e aconteçem muitooooo e que se sentem sempre tão cansados pela produção que têm ao longo das suas importantíssimas carreiras.

Finalmente temos uma canção de pessoas despretenciosas, que representam verdadeiramente o povo português.

Ganhar o festival?
Para quê?
A opinião do Cidadão, não poderia ser mais correcta.

saudações cordiais

O Cidadão abt disse...

Olá, Artur!

Nunca supunha cá o Cidadão abt que o amigo escrevesse cenas tão acutilantes... e... verdadeiras!
Ainda agora este praça fez uma pausa na blogosfera para captar a notícia no jornal das 22 horas da RTP2, sobre mais um aumento brutal no preço dos combustíveis!
No início do próximo ano, tal como neste transacto, vão ter o descaramento, a veleidade e a pouca vergonha, de os administradores virem exibir os resultados dos lucros fabulosos!
São estes da monopolizadora GALP, são os da EDP, são os da TELECOM, são os dos bancos e por aí adiante!

São uma corja de vampiros chupando o sangue da incauta manada!! com a permissividade e a indiferença dos nossos governantes!

Até quando?!

O Cidadão abt disse...

Pois, amigo Tramagalense...

Tirando as pimbalhadas, lá que ouve umas três por quem cá o Cidadão torceu, sem ser própriamente a vencedora... foi um facto...


??????????????


MaS C'A gAnDa CAcHoLa!!!

Se calhar algo correu mal... aos senhores que tais!

Se calhar algo escapou ao predestinado pelos fulanizados!

Se calhar foi o exemplo de um tiro pela culatra!

Se calhar, o Jet7 saíu-se gorado!

Se calhar, para a próxima edição os organizadores vão ter que alterar as regras do jogo!

Portugal só ganhará um Festival Eurovisão da Canção quando as galinhas tiverem dentes, então agora, em que surgiu mais uma quantidade de novos países saídos do bloco de Leste e há que lhes dar atenção!

Portanto, resta valorizar a mensagem que parece abalar muita gente acomodada aos seus cordões umbilicais!

Só por isto, este praça reconhece que foi uma grande vencedora em toda a linha!

alcolobre disse...

ó abt, sem a letra isto não ficava completo.

Por vezes dás contigo desanimado
Por vezes dás contigo a desconfiar
Por vezes dás contigo sobressaltado
Por vezes dás contigo a desesperar
De noite ou de dia, a luta é alegria
E o povo avança é na rua a gritar
De pouco vale o cinto sempre apertado
De pouco vale andar a lamuriar
De pouco vale o ar sempre carregado
De pouco vale a raiva para te ajudar
De noite ou de dia, a luta é alegria
E o povo avança é na rua a gritar
E tráz o pão e tráz o queijo e tráz o vinho
E vem o velho e vem o novo e o menino
E tráz o pão e tráz o queijo e tráz o vinho
E vem o velho e vem o novo e o menino
Vem celebrar esta situação e vamos cantar contra a reacção»
Não falta quem te avise «toma cuidado»
Não falta quem te queira mandar calar
Não falta quem te deixe ressabiado
Não falta quem te venda o próprio ar
De noite ou de dia, a luta é alegria
E o povo avança é na rua a gritar
E tráz o pão e tráz o queijo e tráz o vinho
E vem o velho e vem o novo e o menino
E tráz o pão e tráz o queijo e tráz o vinho
E vem o velho e vem o novo e o menino
Vem celebrar esta situação e vamos cantar contra a reacção
A Luta continua quando o Povo sai à rua!

Joaquim disse...

Alto lá e pára o baile! Não façam é de nós parvos!
Esta geração à rasca não está tanto à rasca como nos faz crer! Nos meus tempos a juventude vivia com maiores dificuldades do que agora, estudava e ia trabalhar para a lavoura, para o comércio e para a construção civil para pagar os estudos, deitava mão a qualquer coisa e não desperdiçava o dinheiro em brinquedos tecnológicos a torto e a direito, utilizava os transportes públicos e não se deslocava em automóvel próprio como agora! Primeiro era o emprego e muito mais adiante vinha o automóvel! Hoje, vem primeiro o automóvel, depois a carta, depois dos estudos, e só no fim, o emprego! Nos outros países europeus os jovens deitam mão aos ofícios, precariamente ou não, os jovens trabalham e estudam, ganhando experiencia no mundo laboral! Não escolham cursos pela beleza dos olhos que de tão saturados ou sem viabilidade, não têm oferta de emprego nem saída profissional. Conheço tantos jovens recém licenciados que encontram trabalho em poucos meses, e com mais do que uma proposta de emprego, tendo colocação mais longe ou mais perto da casa dos pais! Conheço muitos jovens que aceitam entrar no mundo do trabalho por quinhentos euros e que depois vão procurando melhores remunerações. Não queiram adquirir boas remunerações e estabilidade de vida no imediato e à boca das universidades. Custe mais ou custe menos, todos temos que subir a pulso na vida.
Se esta geração está à rasca é porque não faz uma gestão correcta do dinheiro, nem os papás servem de exemplo! É trocar de televisor por plasmas e LCD do último modelo sem haver necessidade, é trocar de automóvel de 280 para estradas de 120, sem necessidade, é adquirir o último modelo de telemóvel e de computador sem necessidade, deitando mão ao facilitismo dos créditos. É o consumismo desenfreado acima das posses que dá nisto! Veja-se na invasão do jantar do PS com o Sócrates em Viseu, contratando os protestos com a ostentação de maquinetas de última geração para registarem os acontecimentos e ainda assim tinham os jantares pagos dos seus bolsos! À rasca, dizem eles? Atados, sim! Deviam ter vivido noutros tempos! Trabalhem mais e protestem menos! Assiste-lhes o direito da indignação e têm o direito de procurarem melhores condições de vida e estabilidade para o futuro, mas não se esqueçam de primeiro descruzarem os braços, arregaçarem as mangas e deixarem de estar à espera que os outros lhes resolvam os problemas, de se demitirem de exibicionismos exteriores de riquismo juvenil e se deixem dos excessos materiais. Para se ser escravo dos bancos nem é preciso estudar!
O país está mal e a manifestação agendada para o dia 12/3 é legítima e de se fazer, mas se uma parcela deste povo se deixasse de subsidio-dependências, outra praga que veio para ficar, o país não estaria tão mal assim!
O facto da música de intervenção ter ganho o festival é bem-vindo, é útil para abanar consciências e avivar debates e reflexões em volta de temas fracturantes!

O Cidadão abt disse...

Ó alcolobre, foi uma falha grave!

Gracias por botar lembradura!

O Cidadão abt disse...

Joaquim?!

Mas o que é isto?

Ena, ena, que desabafo enooorme!

Com esta bitáitada toda quer vosselência dizer que ao saírem do conforto da casinha dos pais, os jovens terão necessariamente que desbravar caminhos, enfrentando as adversidades da vida, como os passarinhos que deixam o ninho e se fazem aos voos?

Está bem!

Mas não se esqueça de comparecer numa das manif's de 12 de Março para dar força às novas gerações que estão a adquirir consciência política e de cidadania, o que é bastante positivo, invertendo o desinteresse que se vinha registando nas décadas anteriores!

Maria Marques disse...

Caro cidadão abt!
Que esta canção"propositadamente meio maluca" tenha força suficiente para mostrar a revolta de um povo farto de ser vassalo e explorado pelas potências europeias.

Um abraço.

Maria Marques

O Cidadão abt disse...

Maria Marques!

Ao contrário de algumas opiniões, é precisamente junto aos europeus que este povo deve mostrar informalmente a sua desolação e não ir para a Eurovisão passar uma imagem artificialista de um formalismo conformado como se por cá tudo estivesse nos conformes!A canção portuguesa ganhar o festival... também nunca o conseguiria portanto:
Meia bola e, em força, Homens da Luta!